Oficina de Projetos Culturais

por Jéssica Rodrigues dos Santos publicado 28/04/2017 17h00, última modificação 18/05/2017 18h58

oficinaprojetosProfessor: Prof. Dr. Cassiano de Almeida Barros

Carga Horária: 24 horas

Dia da semana: Sábado

Local: Campus Taquaral - Unimep 

 

 

APRESENTAÇÃO

Atualmente, já é notável a importância dos processos econômicos engendrados a partir de organizações e agentes culturais e criativos, apesar de alguns processos de parametrização de análise do impacto econômico ainda precisarem ser amadurecidos. As pesquisas que se aproximam da mensuração desse ambiente já conseguem materializar algumas dessas importantes perspectivas, como os setores econômicos culturais contribuírem significativamente para a produção de riqueza nacional, constituírem uma parte considerável da cesta de exportação brasileira e mobilizarem um mercado interno de bilhões de dólares. Também se destaca que os segmentos culturais representam parte significativa da malha empresarial brasileira, com alta densidade de microempreendimentos, e do total de ocupações formais. Dessa forma, tanto em análise macro quanto microeconômica, compreende-se a importância dos setores culturais na diversificação da economia brasileira, apoiando a reversão da especialização regressiva, a inclusão produtiva e o aquecimento do mercado interno. Hoje chegamos ao posicionamento da cultura enquanto vetor, contexto e finalidade do desenvolvimento, do território como principal plataforma de organização e intervenção do processo de desenvolvimento e da diversidade cultural como o principal ativo a ser expresso, refletido e valorizado nessas estratégias. A intenção dos projetos culturais é conseguir recursos para manutenção das atividades sociais e culturais.
Algumas questões relativas ao universo da cultura requerem especial atenção, tais como, a alta taxa de informalidade dos empreendimentos culturais brasileiros, sendo a preocupação central a grave precarização das questões trabalhistas e previdenciárias decorrentes. Outra questão estrutural, que conta com investimentos robustos, porém muito fragmentados, realizados pelo Ministério da Cultura por meio do incentivo fiscal, é a precariedade de um sistema nacional de circulação, com baixa integração de infraestruturas e circuitos locais e regionais. Por fim, observa-se uma baixa diversificação das formas de financiamento e receita utilizadas por agentes econômicos do setor. Ainda que muito já tenha sido feito no sentido de solucionar essas questões que se nos apresentam como problemas, há ainda muito por fazer, especialmente no sentido de contribuir para a ampliação e qualificação de agentes e empreendimentos do setor cultural brasileiro a mecanismos de fomento; para ampliar, qualificar e diversificar a circulação e difusão regional e nacional de bens e agentes do setor da cultura; para desenvolver um ecossistema legal e regulatório que gere condições adequadas à economia da cultura e aos seus agentes; para promover o desenvolvimento de competências técnicas e gerenciais aos agentes do campo da cultura necessárias ao fortalecimento e diversificação de sua dimensão econômica; e para qualificar a geração e difusão de dados e informações sobre a dimensão econômica da cultura municipal e regional. É na perspectiva de contribuir para o atendimento a essas demandas que esse projeto é apresentado.

 

OBJETIVOS

Esta oficina tem o objetivo de promover a formação de agentes culturais, oriundos das diversas áreas da Cultura, na elaboração de projetos culturais. Visa à promoção do estudo dos marcos legais de âmbito federal, estadual e municipal referentes ao apoio e financiamento de projetos culturais. Objetiva também criar oportunidade para elaboração, formatação e avaliação de projetos culturais, em conformidade aos requisitos legais. Busca capacitar os agentes culturais e demais pessoas atuantes em áreas da Cultura para a gestão do ciclo de vida dos projetos culturais.

 

PÚBLICO-ALVO

Alunos, ex-alunos dos Cursos de Música-Licenciatura, Cinema, Rádio, TV e Internet, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Fotografia, e membros da comunidade interna e externa interessados pela temática, em especial, os agentes culturais, assessores de comunicação de empresas, gestores de ONG’s ligadas à cultura, e demais pessoas atuantes em atividades culturais na área da música, da dança, das artes plásticas, do teatro, do cinema, e demais formas de expressão cultural presentes em pontos de cultura, centros comunitários, associações de bairro, escolas, estúdios, dentre outros.

 

PRÉ-REQUISITO

Não há pré-requisitos.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  

Os marcos legais e instrumentos federais de fomento à Cultura;
Os marcos legais e instrumentos estaduais de fomento à Cultura;
Os marcos legais e instrumentos municipais de fomento à Cultura;
O planejamento e o ciclo de vida de um projeto cultural: da elaboração à prestação de contas;
Indicadores Culturais;
As Economias da Cultura.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA  

DURAND, José Carlos. Política Cultural e Economia da Cultura. Cotia/SP: Ateliê Editorial, 2013.
INSTITUTO ALVORADA BRASIL. Projetos Culturais: como elaborar, executar e prestar contas. Brasília: Instituto Alvorada Brasil: Sebrae Nacional, 2014.

MACHADO NETO, Manoel M. Marketing Cultural: das práticas à teoria. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda, 2005.
REIS, Ana Carla Fonseca. Marketing Cultural e Financiamento da Cultura. São Paulo: Cengage Learning, 2003.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 

CESNIK, Fábio de As. Guia do Incentivo à Cultura. São Paulo: Manole, 2007.
COSTA, I. F. da. Marketing Cultural: o patrimônio de atividades culturais. 2a ed. São Paulo: Atlas, 2004.
FISCHER, Micky. Marketing cultural: legislação, planejamento e exemplos práticos. São Paulo: Global, 2002.
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. A Cultura na Economia Brasileira. São Paulo: FGV Projetos, 2015.
HOYLE JUNIOR, LH. Marketing de Eventos: como promover com sucesso eventos, festivais... São Paulo: Atlas, 2003.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema de Informações e Indicadores Culturais 2007-2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2013. POLI, Karina. Economia Criativa, Política Cultural e o Trabalho da Música: entendendo as relações e descobrindo os agentes. In: CALABRE, Lia (Org.). Anais do VI Seminário Internacional de Políticas Culturais. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbos, 2015.

 

METODOLOGIA

Os encontros serão orientados por leitura e discussão de textos selecionados, debate e reflexão sobre as práticas culturais dos estudantes. A título de estudo e formação, está prevista também a elaboração de um projeto cultural, conforme a área de interesse do estudante.

 

CORPO DOCENTE

Prof. Dr. Cassiano de Almeida Barros
Titulação: graduação em regência, mestrado e doutorado em música pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp
Atuação profissional: professor e coordenador do Curso de Música-Licenciatura da Unimep
Resumo das qualificações acadêmicas e profissionais: Tem graduação (2001 - Música / Regência e Cravo), mestrado (2006) e doutorado (2011) em Música pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp. Tem experiência na docência no ensino superior, na formação de músicos e professores de música. Atuou também como professor de música na Educação Básica (Educação Infantil e Ensino Fundamental), inclusive com experiência no ensino de música para crianças e jovens com necessidades especiais. Dedica-se principalmente à Educação Musical, com ênfase nas áreas da Apreciação Musical, História da Música (poéticas antigas e retórica musical) e Regência. Atualmente, é professor e coordenador do Curso de Música-Licenciatura da Universidade Metodista de Piracicaba - Unimep.