Você está aqui: Página Inicial / Ciências Econômicas / Histórico

Histórico

por Danilo Sartorelli Barbato publicado 29/03/2016 18h46, última modificação 14/04/2016 19h45
Ciências Econômicas

O Curso de Ciências Econômicas da UNIMEP


O curso de Ciências Econômicas foi o primeiro curso superior da UNIMEP, tendo sido criado em 20 de abril de 1964, no contexto geral da expansão dos cursos superiores e das instituições privadas de ensino superior promovida pelo regime militar recém instalado. Seu reconhecimento pelo MEC aconteceu em 4 de dezembro de 1972, através do Decreto n° 71.471. A trajetória desse curso está intimamente ligada tanto aos movimentos internos da UNIMEP quanto àqueles mais gerais, vinculados aos movimentos da política nacional. No período mais difícil do Regime Militar, o curso abrigou jovens alunos e professores de economia que, anos depois, viriam a tornar-se renomados economistas, pesquisadores e homens públicos. Foi nesse período que o curso iniciou a construção de sua reputação externa, através, fundamentalmente, da participação em fóruns e instituições de defesa da qualidade do ensino de economia e em favor da redemocratização política do país. Cristalizou-se também uma das características mais importante do curso: a sua abordagem plural para o ensino da Economia. Tiveram início também as primeiras iniciativas na área de pesquisa, sendo aquele um dos primeiros cursos a fazer pesquisa na UNIMEP. Sua característica heterodoxa o levou a ser chamado, em 1982, para constituir um grupo de discussão para formular uma proposta de Reformulação Curricular para os Cursos de Ciências Econômicas do Brasil. Neste ano realizou-se em Florianópolis o SIMPÓSIO NACIONAL DE CONSELHOS DE ECONOMIA(SINCE), que aprovou um pré projeto de Reformulação posteriormente encaminhado ao MEC. Este documento já continha as bases daquele que resultaria na Reformulação Curricular de 1984(Resolução 11/84).

Em termos das ações em favor da qualidade no ensino de economia é importante dizer que o curso de Economia, através de seus representantes, teve papel ativo nas iniciativas que desaguaram na constituição da Associação Nacional de Graduação em Economia (ANGE*) , em 1985, da qual um dos nossos professores - o prof. Lineu C. Maffezoli - foi membro fundador e ainda hoje integra seu quadro de diretores.

No âmbito da pesquisa é oportuno transcrever trecho do documento Política de Pesquisa do Curso de Economia da Universidade Metodista de Piracicaba, que recupera o percurso histórico da pesquisa nesse curso. Conforme o citado documento "A primeira experiência aconteceu nos anos 70, com uma equipe coordenada pelo prof. Lineu Carlos Maffezoli que contava com os profs. Barjas Negri, José Machado e Hélio Rodrigues, além de três alunos do curso de Economia na condição de auxiliares de pesquisa, Luiz Antônio Arthuso, Pedro Ramos e Roberta Maria Ghedini (os dois primeiros, atualmente, professores da UNIMEP). Tratava-se de uma pesquisa sobre as finanças públicas municipais de Piracicaba e teve seu relatório final elaborado em outubro de 1978: Finanças Públicas Municipais: estudos de casos. Na década de 1980, professores e alunos do Curso de Economia estiveram envolvidos num projeto de pesquisa, que se voltava a análise da formação e desenvolvimento do mercado de trabalho em Piracicaba, coordenado pelo prof. Renato Sérgio J. Maluf, e contava com outros três professores do curso de Economia - o prof. Pedro Ramos e o prof. José Machado do Depto. De Economia e a profª. Vera Lucia Graziano da S. Rodrigues do Depto de C. Sociais, além de cinco alunos do CCA, Eliana Tadeu Terci, Maria Thereza Miguel Peres, Vlademir D. Micheletti, Luciana Aparecida Malosso e Reinaldo Gomes da Silva, sendo os quatro primeiros alunos do Curso de Economia e a última aluna do Curso de Administração de Empresas. O projeto foi realizado no Núcleo de Pesquisa e Documentação Regional - NPDR, financiado pela FINEP e teve duas publicações da Editora UNIMEP, uma em 1984 intitulada Aspectos da Constituição e Desenvolvimento do Mercado de Trabalho em Piracicaba e outra em 1987 intitulada Evolução Recente das Condições de Trabalho Urbano e Rural em Piracicaba. Embora não tivesse relação orgânica com o Departamento e o Curso de Economia, foi uma experiência que permitiu uma relação bastante positiva entre as duas subunidades, bem como a capacitação dos alunos para a docência e a pesquisa.....Em 1987, num esforço conjunto da Coordenação do Curso (prof. Lineu C. Maffezoli) e da Chefia do Depto. de Economia (profª. Maria Thereza Miguel Peres) e do empenho do professor Sérgio Leite (não pertence mais ao quadro docente do Depto de Economia) na elaboração do projeto, organizou-se o Banco de Dados Sócio Econômico do Departamento de Economia, com o objetivo de subsidiar as pesquisas de professores e alunos do Curso de Economia, em especial as monografias dos alunos do Curso, que a partir de 1990 passariam a ser exigidas para a conclusão do Curso em virtude da Reforma Curricular de 1985. Em 1988, ainda no intuito de dar continuidade aos estudos realizados pela equipe do NPDR e de construir uma prática de pesquisa no Depto de Economia, a chefia do Depto, na época a profª. Maria Thereza Miguel Peres, buscou um convênio com o NPDR, para o desenvolvimento de uma pesquisa voltada ao estudo das relações de trabalho na Agroindústria canavieira de Piracicaba. A pesquisa esteve sob a coordenação da profª. Maria Thereza Miguel Peres, contando com as profª. Eliana Tadeu Terci do NPDR e do Depto. de Economia e Lilia Ap. T. Piza Martins, também do Depto. de Economia e três alunos do Curso de Economia. A pesquisa obteve apoio financeiro do FAP/UNIMEP para dois anos e teve o relatório final concluído e aprovado em 1991 com o título Estudo do mercado de trabalho na agroindústria canavieira: região de Piracicaba" (Política de Pesquisa do Curso de Ciências Econômicas, 1998: 11).

Desde então a produção científica do curso vem aumentando significativamente. Hoje há quatro professores em regime de Tempo Parcial que desenvolvem pesquisas no Curso nas seguintes linhas de pesquisa: Estudo da utilização dos recursos naturais na região de Piracicaba, Estudo do setor serviços em Piracicaba com ênfase para os serviços públicos, Estudo sobre a industrialização na região de Piracicaba e Estudo sobre o desenvolvimento urbano das cidades da região de Piracicaba. Desenvolvidos pelos professores Lilia Ap. T. Piza Martins, Lineu C. Maffezoli, Zildo Gallo e Maria Thereza Miguel Peres. Uma síntese dessas várias frentes de trabalho pode ser encontrada no livro O desenvolvimento de Piracicaba: história e perspectivas, organizado pela profª. Eliana Tadeu Terci e editado pela Editora UNIMEP em julho de 2001.

Ao mesmo tempo em que avançava a competência do curso para a pesquisa, ocorria igual movimento em relação à qualificação do seu corpo docente. Além de apresentar um quadro docente bastante estável ( com a maioria dos professores com mais de 10 anos de experiência docente na UNIMEP), este tem buscado sua qualificação em nível de mestrado e doutorado nas melhores instituições do país. Há, assim, entre nós, o predomínio de professores com pósgraduação em instituições tais como ESALQ, FGV, PUC-SP, UFV, UNESP, UNICAMP e USP Dez anos atrás o número de professores doutores no curso era de cerca de 10%; hoje, cerca de 45,16% são doutores, 45,16% mestres e apenas 9,68% especialistas. A perspectiva é a de que, para os próximos dois anos, a porcentagem de doutores ultrapasse 55% do corpo docente.

A trajetória do curso tem sido marcada também pelo zelo dedicado à qualidade do ensino em sala de aula, do que dá testemunho o desempenho dos alunos na atividade de conclusão do curso - a monografia -, que tem obtido reconhecimento externo na forma de premiações. De fato, o ano 2000 viu pela terceira vez consecutiva um aluno do curso ser premiado nos concursos de monografia patrocinados pelo Conselho Regional de Economia de São Paulo (CORECON/SP). Antes dele, em 1998, o aluno Alexandre Mota, orientado pelo prof. Dr. Francisco C. Crocomo, obteve a segunda colocação no III Concurso, com a monografia intitulada "Os determinantes do investimento nas teorias keynesianas e o mundo atual". Em 1999, o aluno Ivan Serra Braga, orientado pela profª. Dra. Maria Thereza M. Peres, obteve o terceiro lugar na premiação, com a monografia intitulada "Ensaio sobre a Ação Humana na Modernidade", que também recebeu menção honrosa no Prêmio Brasil de Economia, promovido pelo Conselho Federal de Economia. Finalmente, em 2000, o aluno José Marcelo Castro orientado pela profª. Dra. Ângela C. Cassavia Corrêa, obteve a primeira colocação no V Concurso Estadual de Excelência em Monografias do Conselho Regional de Economia de São Paulo, com a monografia intitulada "Desigualdade, Pobreza e a Evolução do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no Brasil, a partir da década de 60".

*A ANGE surgiu como resultado do amplo processo de debate nacional acerca da reforma do currículo de economia, aprovada pela Resolução 11/84 do então Conselho Federal de Educação. A ANGE começou a ser organizada por ocasião do I Congresso Brasileiro dos Cursos de Graduação em Economia, realizado em 1985.