Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Transformar boas ideias em negócios é tema de 3º painel

Transformar boas ideias em negócios é tema de 3º painel

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 20/11/2013 14h28, última modificação 26/04/2016 15h50

Iniciativa e criatividade, características fundamentais para o atual mercado de trabalho também são a  base do empreendedorismo. Portanto, transformar uma boa ideia em negócio é um dos temas que compõem o terceiro evento Mercado de Trabalho 2.0 – Saiba Como Você se Encaixa nessa Nova Realidade, painel Financiando sua Ideia, que ocorre na próxima quinta-feira, 21. 

A partir das 19h30, no anfiteatro do bloco 7, do campus Taquaral, a jornalista Teresa Blasco (foto à esq.), diretora da Blasco Consultoria de Desenvolvimento Institucional, membro da Associação Brasileira de Captadores de Recursos e Conselheira de Cultura de Piracicaba fala sobre Incentivos Fiscais e Captação de Recursos – Empreendedorismo para o Terceiro Setor. Depois dela, o engenheiro agronômico e advogado João Adolfo de Rezende Ponchio, atualmente consultor da FGV Projetos, da EsalqTec e sócio-diretor de quatro empresas e professor, apresenta Oportunidades de Financiamento para Empreendedores.  A iniciativa é resultado da parceria entre a Coordenação-Geral dos cursos de Pós-graduação Lato Sensu da Unimep e o SoulWorking – Escritório Compartilhado. O 4º encontro será sobre Auto-Realização no Trabalho, no próximo dia 26.

Com dicas e orientações para os profissionais em suas áreas de atuação, os palestrantes concederam entrevistas à equipe de reportagem da Unimep. Confira alguns trechos das entrevistas. 

Unimep – Quais são as oportunidades de financiamento e os principais desafios para a aquisição de incentivos fiscais e captação de recursos no país, atualmente?

João Adolfo – Em relação às oportunidades, as empresas de base tecnológica, contudo, são priorizadas e contam com linhas de financiamento muito interessantes, algumas não reembolsáveis. Além dos órgãos públicos de fomento ao desenvolvimento tecnológico, os bancos públicos têm várias linhas de financiamento. Porém, quando as empresas começam a crescer e apresentar resultados, é possível captar recursos de fundos de investimentos privados.


Unimep – Quais são as principais áreas deficitárias e quais são as áreas em alta do terceiro setor (ligado ao setor de serviços) no Brasil?

Teresa Basclo – Dentre os pontos positivos, no panorama nacional, o Terceiro Setor tem uma participação econômica significativa: ocupa 7% dos trabalhadores nos países desenvolvidos, passando para 10% ao se acrescentar o trabalho voluntário. No Brasil existem hoje 338 mil organizações sem fins lucrativos e aproximadamente 12 milhões de pessoas, entre gestores, voluntários, doadores e beneficiados, além dos 45 milhões de jovens que percebem como missão apoiar o terceiro setor. É um segmento da economia que está em plena ascensão, com uma perspectiva de novos postos de trabalhos, devido à diversificada área de atuação. Em Piracicaba e aglomeração urbana, até 2015, o Terceiro Setor se consolidará como matriz de geração de emprego e renda, estabelecendo importantes vínculos de desenvolvimento com as universidades locais e com os diversos setores empresariais, de acordo com a Agenda 21 do município. 

João Adolfo – Em relação aos novos empreendimentos, o Brasil possui vantagem competitiva para empresas do agronegócio e esta é a vocação de Piracicaba e região. É nesta área que estão surgindo empresas inovadoras. Porém, vários setores estão em evidência na economia brasileira: tecnologia de informação e comunicação; medicamentos; insumos; novos materiais; química fina; biotecnologia; máquinas e equipamentos; etc. As universidades estão acompanhando esse movimento por meio da criação de incubadoras de empresas e parques tecnológicos. Também, estão criando cursos de empreendedorismo e gestão de negócios em todas as áreas do conhecimento.

Unimep – Quais são os primeiros passos que os profissionais devem seguir para aproveitar as oportunidades na área de financiamento e empreendedorismo?

Teresa Blasco – Qualquer pessoa, graduada ou não, ligada a instituições do terceiro setor devem ter em mente que a captação de recursos é uma atividade planejada e complexa: envolve marketing, comunicação, relações públicas, elaboração de projetos, questões jurídicas e ética. A captação efetiva de recursos será o resultado de planejamento adequado (jurídico e de gestão), plano de ação claro e implementável e eficiência na implementação.

Unimep – Cite três ações que não devem ser adotadas pelos profissionais dessas áreas?

Teresa Blasco – No terceiro setor, não criar o Departamento de Captação de Recursos, responsável pelo planejamento das ações de captação/mobilização de recursos; não diversificar as fontes de recursos e não cuidar da documentação da instituição proponente e da prestação de contas dos projetos.

João Adolfo – O grande estímulo para o empreendedor, além da autossatisfação, é o ganho econômico. O empresário não pode ter medo de ganhar dinheiro. Não se aprende a ganhar dinheiro exclusivamente na escola e nos livros, embora uma boa formação seja fundamental. Assim, o empreendedor não deve imaginar que é dono da verdade ou ousar em demasia, sem que tenha avaliado muito bem os riscos dos negócios.

Unimep – Por favor, indique livros e filmes que podem colaborar para o incentivo aos profissionais destas áreas de atuação? 

João Adolfo – Sem esgotar em absoluto o assunto: a revista Exame apontou os 15 livros que todos empreendedor deveria ler em 2013: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/15-livros-que-todo-empreendedor-deveria-ler-em-2013#5 Já em relação aos filmes, a Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios elegeu 10 filmes: http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI324674-17180,00-FILMES+A+QUE+TODO+EMPREENDEDOR+DEVE+ASSISTIR.html

Teresa Blasco – Os livros são Oficinas do Sistema Nacional de Cultura, de Lia Calabre; Captação de Diferentes Recursos para Organizações da Sociedade Civil, de Marcelo Estraviz e Celia M. Cruz, e Ação Social nas Empresas, de Maria Peliano, e também a revista eletrônica Cultura e Mercado  http://www.culturaemercado.com.br

Texto: Angela Rodrigues
Fotos: banco de imagens e divulgação
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 20/11/2013

registrado em: