Você está aqui: Página Inicial / msg / comunicados / 2020 / portarias / anexos / Notícias Americano / Convidado para a 31ª Feira do Livro, Edson Antoni palestrou no dia (20/07)

Convidado para a 31ª Feira do Livro, Edson Antoni palestrou no dia (20/07)

por Colégio Metodista Americano — publicado 21/07/2015 12h49, última modificação 17/06/2020 18h32

Ainda fazendo parte das atividades da 31ª Feira do Livro do Colégio Metodista Americano, os 3ºs anos do EF receberam, no dia 20/07, o autor da obra “O Clube do Mistério”, Edson Antoni, que realizou um rápido bate-papo e concedeu autógrafos para os pequenos alunos.

Edson demonstrou satisfação em estar apresentando o seu primeiro livro infantil e considerou a Feira do Livro uma atividade de extrema importância: “É fundamental, ainda mais envolvendo crianças dessa faixa etária que é onde vão nascendo os futuros leitores, é um hábito que justamente se cria nessa etapa”, destacou o escritor.

Antoni ainda ressaltou que o contato do leitor com o autor torna a leitura mais interessante: “Esse contato da criança – leitor, com o autor, é interessante porque torna o livro mais pessoal pra criança, no sentido de que ela tá vendo quem escreveu, pode trocar ideias e ela mesmo pode se sentir capaz de ensaiar escrever alguma obra.”, concluiu o autor.

O uso da literatura na educação das crianças

A literatura na educação das crianças está presente no dia-a-dia do Colégio Americano com o intuito de garantir o contato dos pequenos com as obras, apresentando diversos gêneros. Segundo Edson, estimular o gosto pela leitura, envolve muitos outros fatores: “É todo um universo, primeiro, o cuidado com o livro, depois o fato de se poder trabalhar a ideia de como o autor chegou naquela história e assim por diante.”, acrescentou Antoni.

Antoni relatou que a convite da editora escreveu “O Clube do Mistério”: “Eu trabalho com a disciplina de História e já trabalhei em universidades com metodologia científica; então recebi o convite pra escrever um livro que incentivasse a metodologia científica para crianças”. O autor informou nunca antes ter escrito para o público infantil, mas usou um pouco de sua experiência com os filhos: “Aceitei o convite, ainda com ressalva, de trazer a experiência de pai e de professor, e acho que deu certo”, constatou o escritor.

O bate-papo aconteceu em duas edições, às 11h e às 13h30.