Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 30 cursos da Unimep conquistam 4 e 3 estrelas no Guia da Faculdade, do jornal Estadão

30 cursos da Unimep conquistam 4 e 3 estrelas no Guia da Faculdade, do jornal Estadão

por Angela Rodrigues publicado 10/10/2019 05h00, última modificação 10/10/2019 20h27

30 cursos de graduação da Unimep conquistaram 4 e 3 estrelas do Guia da Faculdade, elaborada pelo jornal O Estado de S. Paulo, em parceria com o Quero Educação, startup na área de educação, e divulgada na última sexta-feira, 4. 

Na avaliação, 18 cursos da Unimep receberam 4 estrelas, conceito que corresponde à classificação muito bom no Guia da Faculdade; enquanto 12 graduações conquistaram 3 estrelas, portanto, foram avaliadas com o conceito bom no ranking.

O Guia da Faculdade é inédito e resulta de parceria criada pelo jornal Estadão, em 2018, com uma das principais startups da área educacional do país, a Quero Educação, com sede em São José dos Campos. A classificação completa pode ser consultada nesse link: http://publicacoes.estadao.com.br/guia-da-faculdade/

AVALIAÇÃO – No Guia da Faculdade 2019, conquistaram 4 estrelas os cursos de Administração; Arquitetura e Urbanismo (campus Santa Bárbara d´Oeste); Ciências Contábeis; Direito (campus Taquaral); Educação Física (bacharelado); Educação Física (licenciatura); Engenharia de Alimentos; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Química; Farmácia; Fisioterapia; Negócios Internacionais; Nutrição; Pedagogia;  Publicidade e Propaganda; Relações Internacionais e Sistemas de Informação.

Já com 3 estrelas, foram classificados os cursos de Ciências Econômicas; Cinema e Audiovisual; Direito (campus Lins); Enfermagem; Engenharia Civil; Engenharia Mecânica; História; Jornalismo; Música; Odontologia; Psicologia e Química Industrial (bacharelado).

ENTENDA O RANKING – Mais de 11 mil cursos superiores no Brasil foram avaliados pelo Guia da Faculdade do Estadão e Quero Educação. A metodologia utilizada para avaliar a qualidade dos cursos na publicação é conhecida como “avaliação por pares”, por ser feita por milhares de docentes que atuam no ensino superior.

Na primeira etapa do estudo, todas as instituições de ensino superior (dentre universidades, faculdades, centros universitários e institutos) cadastradas no Ministério da Educação (MEC) foram convidadas a participar da avaliação e indicaram os cursos oferecidos na modalidade presencial. Para ser avaliada, a graduação precisa ser presencial, ter a titulação de bacharelado ou licenciatura, e ter ao menos uma primeira turma com alunos já formados.

Na etapa seguinte, o coordenador de cada curso recebeu e preencheu o formulário sobre as principais informações da graduação, com foco em três aspectos: projeto pedagógico, corpo docente e infraestrutura. Esse material foi utilizado para os avaliadores darem suas notas ao curso.

Mais de seis mil coordenadores e docentes do ensino superior, cadastrados de forma voluntária, e sem remuneração, realizaram a avaliação. Nessa etapa, eles atribuíram três notas (de 1 a 5) para cada curso em relação aos três quesitos apontados acima. Cada curso foi avaliados por seis professores.

Após a classificação, a maior e a menor notas recebidas por cada curso são descartadas. O resultado numérico final do curso é a média das notas intermediárias restantes, transformado em estrelas de acordo com as faixas de conversão definidas pela publicação. Ao final da avaliação, os cursos foram ranqueados com conceitos que vão de 1 a 5, e significam excelente (5), muito bom (4) e bom (3).

Texto: Assessoria de Comunicação Unimep
Foto: acervo Unimep
Última atualização: 07/10/2019