Você está aqui: Página Inicial / Notícias / A arte cruzando fronteiras: ex-aluno de RTVI fala sobre ida aos EUA

A arte cruzando fronteiras: ex-aluno de RTVI fala sobre ida aos EUA

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 12/06/2015 17h25, última modificação 26/04/2016 18h52

O cinema é a sétima arte – e não há como duvidar disso. Seus personagens, trilhas sonoras e diálogos são capazes de levar o expectador a diferentes lugares do mundo e a experimentar emoções que mudam a todo momento – indo da alegria à raiva com uma simples transição de cenas.

Beto Skubs, que se formou em de Rádio e TV na Unimep em 2004, sempre soube que queria escrever. Começou cursando jornalismo – mas pediu transferência quando descobriu os curtas-metragens produzidos por alunos de RTV. “Quando os vi, pensei: É isso que quero escrever. Roteiros”, conta.

Atualmente, o unimepiano mora em Los Angeles, nos Estados Unidos, para onde foi após ganhar uma bolsa para estudar roteiro de cinema e TV na UCLA (University of California, Los Angeles) – e acaba de vender um seriado de TV para a Sony Crakle, empresa na qual tem contrato em desenvolvimento. Confira os principais trechos da entrevista com Beto Skubs para a série Ouro da Casa, que é dedicada a ex-alunos que se destacaram no seu campo de atuação.

Acontece Unimep – Por que escolheu fazer sua graduação na Unimep?

Beto Skubs – A Unimep sempre teve uma reputação excelente nos cursos de comunicação.

Acontece Unimep –  Qual foi sua maior experiência enquanto estudava na Unimep?

Beto Skubs – Uma das melhores experiências foram as aulas da professora Mirian Rother. Tive várias aulas de rádio, vídeo e direção de atores com ela, e além de ter aprendido muito, as aulas eram divertidas. Na aula dela, também conheci vários alunos de outras turmas, fiz amigos. Ela liderava um grupo de estudo sobre direção de atores que acabou indo pra fora da escola – com ela, eu aprendi também que a Universidade não se restringe necessariamente à sala de aula. Foi uma ótima experiência. Além disso, ganhei prêmios no Festival Jaguatirica – meus primeiros prêmios em audiovisual.

Acontece Unimep –  Do que mais sente falta na universidade?

Beto Skubs – De produzir e exercitar constantemente. Fiz alguns curtas e muitos exercícios de rádio e TV e gostava muito. Gostava do contato criativo com outros alunos e com alguns professores.

Acontece Unimep –  Qual o maior desafio que já enfrentou até hoje em seu ramo de atuação?

Beto Skubs – A cada dez coisas que você escreve, uma é produzida. A natureza do negócio é essa. A concorrência é brutal – especialmente aqui nos Estados Unidos, onde há uma indústria e que concentra talentos do mundo todo. É ao mesmo tempo desafiador e estímulante.

Acontece Unimep –  Quais as suas dicas para os estudantes de Rádio, TV e Internet e para os formandos que acabaram de ingressar no mercado de trabalho?

Beto Skubs – Qualquer que seja sua função no audiovisual – roteiro, direção, produção, edição, figurino, arte, etc – pratique muito. Se você for escritor, escreva muito, muito mesmo. Produza o máximo que puder. Encontre pessoas com quem colaborar. Trabalhe na sua arte e na sua técnica. As primeiras dezenas de tentativas provavelmente não serão muito boas – mas é exercendo que se melhora. Não existem duas histórias de sucesso iguais na nossa área, cada um trilha um caminho diferente – mas todos têm que estar preparados quando a oportunidade chega.

 

Texto: Nathália Slavdor
Fotos: acervo pessoal
Edição/coordenação: Celiana Perina
Última atualização: 12/06/2015

 

registrado em: