Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Alunas desenvolvem projeto de extensão na Casa do Bom Menino

Alunas desenvolvem projeto de extensão na Casa do Bom Menino

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 27/08/2014 16h15, última modificação 26/04/2016 18h51

Afastados do convívio familiar e acolhidos pela Casa do Bom Menino de Piracicaba, mais de 100 crianças e adolescentes, de ambos os sexos e com idades até 18 anos, compartilham experiências e têm parte de suas necessidades básicas atendidas por meio de ações desenvolvidas por alunas dos cursos de farmácia, nutrição, pedagogia e psicologia da Unimep. Com as universitárias, as crianças participam de atividades educativas e voltadas à cooperação mútua.

As iniciativas são os resultados do projeto Educação e Saúde com Crianças e Adolescentes em Situação de Vulnerabilidade Social, coordenado pelo docente José Eduardo da Fonseca (à direita, foto acima), supervisor de estágio da rede pública da graduação de farmácia e coordenador de projetos de extensão do Nepep – Núcleo de Estudos e Programas em Educação Popular da Unimep.

Fonseca conta que o projeto realizado na Casa do Bom Menino, que é inédito, é uma parceria com as instituições Alfabetização Solidária, a Alfasol, organização não governamental criada para disseminar o desenvolvimento social por meio de práticas educativas sustentáveis, e a The Resource Foundation (TRF), também uma organização sem fins lucrativos que apoia programas de desenvolvimento local na América Latina e no Caribe.

“É a primeira vez que a TRF financia um projeto na América do Sul, e este é o único financiado por eles no Brasil. A parceria foi idealizada em março do ano passado e iniciada em outubro. As ações ocorrem em um período de 12 meses, portanto, iriam até outubro deste ano. No entanto, renovamos por mais um ano, com encerramento em outubro de 2015”, conta ele.

As atividades são realizadas pelas alunas: Janaína Paulino da Silva (nutrição); Raíza Cruz de Souza (psicologia); Elaine de Santana Macedo (pedagogia); Bruna Cristina Nunes de Brito  (pedagogia) e Mariana Raquel Castro de Francisco (farmácia), que dedicam 20 horas semanais às atividades.

O projeto é apenas uma das atividades de extensão atualmente desenvolvidas na Unimep, que mantém outras centenas de ações realizadas por setores acadêmicos e administrativos, além das existentes em parcerias com órgãos externos. Os programas ocorrem por meio da atuação da Coordenação de Extensão e Assuntos Comunitários da Unimep. De acordo com o coordenador desta área, o prof. Josué Adam Lazier (à esquerda, foto acima), os diferentes programas e ações, somados aos projetos de extensão, atendem cerca de 7 mil pessoas ao ano e contam com o envolvimento de 1.200 alunos extensionistas, 40 professores e 15 funcionários.


CIDADANIA

Os programas incluem campanhas de agasalho, fraldas geriátricas e remédios; ações voltadas à terceira idade, atividades lúdicas e pedagógicas de reforço escolar desenvolvidas por alunos de licenciaturas, ações de educação e saúde para adolescentes abrigados em instituições de Piracicaba e comunidade em geral. Também há o programa Unimep na Comunidade; o projeto Rondon; o programa de solidariedade aos refugiados haitianos atualmente residentes em Santa Bárbara d´Oeste; eventos relativos ao direito da mulher e à Lei Maria da Penha e programas de atendimento odontológico direcionados à população indígena.

“Os alunos têm a oportunidade de se inserirem em contextos diferenciados dos habituais e interagirem com diferentes situações e pessoas, ampliando o horizonte de atuação enquanto cidadãos e futuros profissionais”, destaca Lazier.

Apenas sob a coordenação do Nepep, setor vinculado à Coordenação de Extensão, são desenvolvidos Projeto Rondon, o Unimep na Comunidade, além de outros de iniciação científica e do grupo de estudos Educação e Movimentos Sociais, dentre outros.

\"O Nepep desenvolve projetos de extensão universitária na perspectiva da educação popular, realizados em parceria com comunidades, movimentos sociais, ONGs, conselhos, associações e diferentes esferas do poder público, estabelecendo sempre um diálogo entre o saber acadêmico e o saber produzido pelas comunidades. Nesta diversidade de atuações, o Nepep acredita produzir um novo saber, que contribui na construção coletiva da cidadania”, afirma a professora Márcia Aparecida Lima Vieira, coordenadora de projetos de extensão do Nepep.

 

Texto: Angela Rodrigues
Fotos: Bob Calligaris/Fábio Mendes
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 27/08/2014

registrado em: