Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Aluno de eng. mecânica tem oportunidade de pesquisar tecnologia alemã

Aluno de eng. mecânica tem oportunidade de pesquisar tecnologia alemã

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 18/09/2015 17h00, última modificação 26/04/2016 18h52

Em algumas das aulas que frequenta, Matheus Franco Soares, que cursa o 10º semestre do curso de engenharia mecânica da Unimep, ainda se surpreende com o fato de todos os alunos darem uma batida com a mão fechada de forma repentina nas carteiras. O gesto, conta ele, representa aplausos ao professor pela aula ministrada e é uma das práticas dos estudantes da Universidade Técnica de Darmstadt, na Alemanha, onde o universitário tem a oportunidade de estudar atualmente. Soares participa de intercâmbio na Alemanha desde fevereiro e retorna ao Brasil no próximo ano.

A oportunidade de estudar no exterior ocorreu por meio do projeto Bragecrim SCoPE (Componentes Inteligentes num Ambiente de Produção Inteligente) aprovado pela Capes e vinculado ao Laboratório de Sistemas Computacionais para Projeto e Manufatura (SCPM). A iniciativa é coordenada pelo prof. Klaus Schützer, também responsável pelo Laboratório.

O universitário conta que estudar na Universidade Técnica de Darmstadt é um privilégio. “O sistema de graduação na Alemanha é diferente do Brasil. Lá os estudantes se formam com título de mestre, sendo que nos três primeiros anos se faz o bacharelado e nos dois anos seguintes se faz o mestrado”, conta.  Além de as aulas de graduação, ele também frequentou disciplinas de mestrado e curso de alemão, na própria TU Darmstadt. Apenas nesse semestre, Soares acompanha curso extra de alemão na escola técnica Volkshochschule.

ATIVIDADES 

Nos horários em que não está nas aulas, Soares desenvolve atividades no Instituto de Pesquisa da TU Darmstadt. “No início, fiz um treinamento para aprofundar os conhecimentos na área de programação CAM. Em seguida, elaborei um treinamento tutorial sobre como realizar programação de usinagem para um componente de geometria complexa e fazer a checagem de colisões por meio de simulação em um ambiente virtual, com o objetivo de aumentar a segurança e confiabilidade do processo. Devido ao desenvolvimento desse trabalho fui convidado a atuar como auxiliar de um doutorando. Paralelamente, nesse semestre, irei escrever uma tese na área de fábrica digital, pois preciso aprofundar meus conheciementos nesse tema para contribuir com o próximo trabalho que irei realizar no Laboratório SCPM, quando retornar à Unimep”, afirma ele.

CULTURA

Em relação aos costumes, cultura, lugares e culinária alemães, Matheus Soares destaca que as impressões sobre Darmstadt foram excelentes desde o início. “A cidade me agrada bastante. Assim como todas as outras em que estive, é muito organizada, bem estruturada, limpa, possui vários parques e opções de lazer, e um sistema de transporte público muito eficiente. Viver na Alemanha está sendo a realização de um antigo sonho. A cada dia aprendo e descubro coisas novas, o que me deixa ainda mais impressionado com o país”, afirma.

Sobre a tradicional organização alemã, o estudante narra um episódio inusitado, se comparado à cultura brasileira. “Os alemães seguem à risca o sistema e as regras, razões pelas quais as coisas funcionam por aqui. Houve um fato cômico para nós brasileiros. Uma noite, ao voltar para casa após 23h, não havia nenhum carro trafegando nas ruas (neste horário praticamente não se vê mais trânsito de automóveis) e o sinal de pedestres estava vermelho. Estava com amigos, querendo chegar logo em casa, então pensamos que estava tudo bem atravessarmos a rua, mesmo no vermelho. Porém, logo que a cruzamos, surgiram dois policiais que chamaram a nossa atenção, de maneira muito educada, mas pedindo para nos atentarmos da próxima vez”, conta ele.


Texto: Angela Rodrigues
Fotos: acervo pessoal
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 18/09/2015

 

registrado em: