Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Aluno de letras-português fala sobre profissão professor e o desafio de formar amantes da leitura

Aluno de letras-português fala sobre profissão professor e o desafio de formar amantes da leitura

por Angela Rodrigues publicado 08/06/2017 09h13, última modificação 12/06/2017 18h45

 

Ser professor é tornar-se a base de todas as outras profissões e, por esta razão, quase por unanimidade, que a profissão é considerada a carreira fundamental para o desenvolvimento de uma nação. O aluno do 8º semestre do curso de licenciatura em letras-português da Unimep, Mateus Henrique do Amaral, 22, tem noção da importância dessa função e se espelha em seus professores para traçar o próprio caminho na área da docência. Amaral foi entrevistado pela equipe de reportagem do Acontece Unimep para a série Profissão Professor. Acompanhe os melhores trechos da entrevista:

Acontece Unimep – Por que você escolheu ser professor de letras-português?
Mateus H. do Amaral - Nos meus últimos anos escolares, a educação me chamou a atenção. Acredito que foi pelo fato de desenvolver estágios, durante o ensino médio, em lugares relacionados a essa área de atuação, como a Diretoria de Ensino e a Etec. Outra questão bastante relevante é o fato de a minha mãe trabalhar em uma escola e desde pequeno eu frequentar essa unidade. Gostava de estar ali, era prazeroso. Quando concluí o ensino médio, cheguei a pensar em fazer história ou geografia, mas acabei optando por letras-português pelo gosto e grande fascínio pela leitura e escrita. Não me arrependi, sei que fiz ótima escolha!

Acontece Unimep – Qual é a sua inspiração para lecionar?
Amaral
 - A inspiração é todo o suporte dado pelo curso de letras-português da Unimep ao decorrer da minha formação e a admiração que tenho por muitos professores que passaram pelas minhas vivências acadêmicas, tanto na universidade como no ensino básico. Já o que mais me mobiliza é a possibilidade de despertar o interesse nos alunos e desenvolver o senso crítico, a fim de que eles sejam pessoas atuantes em um âmbito social mais amplo, alcancem seus objetivos e adquiram gosto pelo conhecimento, principalmente aqueles constantemente marginalizados, excluídos socialmente.

Acontece Unimep – Qual é o seu maior desafio no ensino de português?
Amaral 
- Acho que um dos meus maiores desafios como professor de língua materna é despertar o prazer pela leitura nos alunos. Infelizmente, em alguns momentos, a própria escola acaba falhando nesse sentido, quando utiliza a leitura apenas como imposição, como atividade avaliativa, e acaba não dando espaço para a leitura como atividade prazerosa para os discentes, sem cobranças. São vários os fatores que propiciam para que isso ocorra, um deles é a grande cobrança para que o docente cumpra o currículo, o que acaba por não dar espaço para atividades como essa mencionada.

Acontece Unimep – Qual recado gostaria de enviar aos seus futuros alunos?
Amaral - Diria que a sólida formação inicial proporcionada pela Unimep me permite sentir preparado para atuar e prever os possíveis desafios, tendo autonomia e criticidade para encará-los e buscar solucioná-los. Diria, também, que aprenderei muito atuando com eles e que estou ansioso para assumir as minhas próprias turmas.

Acontece Unimep – O que falta na educação brasileira hoje?
Amaral - 
De forma bem geral, acredito que "falta" ser (re)discutida e (re)pensada de forma séria, com ações efetivas e maior investimento nos espaços escolares públicos e na formação de professores. Acho que é um pouco perigoso restringir o “problema” a alguns fatores. Contudo, há algumas questões que são nítidas como é o caso da grande falta de professores com formação adequada para lecionar. Nesse sentido, talvez ainda falte ações governamentais que propiciem condições melhores de trabalho nas instituições públicas e maior investimento na formação docente, de modo que esse adquira autonomia crítica e política em sua atuação. 

Acontece Unimep – Até o momento, quais foram as principais contribuições da Unimep para a sua formação como professor?
Amaral
 - Primeiro, a ótima associação feita entre teoria e prática. Segundo, o conhecimento pedagógico proporcionado pelo curso que, além do conhecimento específico, trabalha com essas questões a partir de algumas disciplinas e do estágio em Gestão Escola e Educação Inclusiva. Há, também, a série de disciplinas que dialogam com as mais recentes necessidades de atuação, como é o caso de uma sobre quadrinhos e do estágio em projeto multi/interdisciplinar. Os professores (todos mestres e doutores) são extremamente atenciosos e competentes, por estes motivos o curso tem grande reconhecimento. Durante a atuação no estágio obrigatório, eu e as minhas colegas de turma notamos a seriedade com que fomos tratados nas unidades de ensino como estagiários da Unimep e o modo que o curso de letras da universidade é associado à formação de qualidade.

 

Entrevista e texto: Serjey Martins
Edição: Celiana Perina
Fotos: divulgação
Última atualização: 02/06/2017