Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Atendimentos, laboratórios e professores diferenciam curso de nutrição

Atendimentos, laboratórios e professores diferenciam curso de nutrição

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 01/01/2013 16h21, última modificação 26/04/2016 18h48

Piracicaba não seria a mesma sem o curso de nutrição da Unimep. Afinal, há 30 anos, a graduação prepara profissionais para atuar na região, e há 10 anos, o Nutricentro, além de atividades de atendimento ambulatorial, oferece grupos de reeducação alimentar, assessoria e consultoria à comunidade e instituições. “Tanto o curso de nutrição como o Nutricentro são referências para o mercado de trabalho da cidade, que vem em busca de novos profissionais”, destaca a coordenadora da graduação Rita de Cássia Furlan Pecorari. 

No entanto, esses não são os únicos elementos que ela aponta como diferenciais da graduação. A docente também destaca a inovação curricular, que ampliou a atuação do profissional para novas áreas e demandas de trabalho; os estágios, que na Unimep dividem-se nos campos da saúde pública, nas Unidades Básicas de Saúde, no segmento de alimentação escolar e no de nutrição clínicas, dentre outros. Há ainda os laboratórios, como a cozinha pedagógica e o laboratório de avaliação nutricional; a interface com outros cursos e faculdades da Unimep; docentes qualificados e com tempo de dedicação e parceria com vários órgãos, como prefeitura, empresas privadas, clubes, academias e hospitais. 

ESCOLHAS 

O resultado de uma pesquisa particular com as instituições que ofereciam o curso na região, a classificação do curso de nutrição da Unimep no Guia do Estudante, da Editora Abril, a avaliação sobre os laboratórios influenciaram a universitária Denise Mastelini Ross (foto acima), 23, do 9º semestre, a ingressar na Unimep. Ela, que atualmente é estagiária no Nutricentro e em um hospital em Limeira, considera o curso ótimo. “Quando me perguntam sobre o curso, respondo que o diferencial é que a gente aprende na prática desde o primeiro semestre.  Nunca foram só ensinamentos teóricos, foram práticos também”, completa Denise.

Já Luciana Bressan (foto abaixo), 20, aluna do 7º semestre, conheceu a graduação por meio de uma prima, que cursava fisioterapia e a convidou a conhecer a Unimep e os laboratórios. “Já gostava muito de nutrição e quando vi os laboratórios, encantei-me. Considero o corpo docente muito bom e os laboratórios ótimos, principalmente a cozinha experimental. Temos bastante trabalho, mas que incentiva os alunos a aprender. Além disso, os docentes mostram a realidade da profissão”, afirma ela.
 
A estrutura da universidade também determinou a escolha de Mariane Correr da Silva, 25, do 7º semestre. “Já havia cursado um semestre em outra instituição, em Americana, mas interrompi porque não gostei. Para mim, a Unimep foi mais acolhedora, além de ter os laboratórios mais estruturados e os professores preparados”, aponta a aluna. 

De acordo com a coordenadora, no final dos anos 1990, a profissão de nutricionista ganhou novos horizontes, fato que resultou na reestruturação do curso, para atender as novas demandas.  Dentre os campos de trabalho ela cita: inserção na área de ciência e tecnologia dos alimentos, como empresas para o desenvolvimento de produtos de qualidade; atuação na área de nutrição clínica (hospitais, consultórios, ambulatórios, centros de saúde e órgãos de vigilância sanitária); de alimentação coletiva (restaurantes industriais, indústrias de alimentos), além de escolas, hotéis, creches, universidades, órgãos governamentais; e áreas como marketing, supermercados, vigilância sanitária, academias e nutrição na atividade física, inlcusive para atletas. 


NA PRÁTICA 


Graduada pela Unimep em 2002, Maria Cláudia Bernardes Spexoto conta que as experiências vividas na graduação, como a participação em projetos de extensão, monitora e bolsista de iniciação científica, foram fundamentais para o exercício profissional. Sua trajetória inclui os cargos de nutricionista na Santa Casa de Misericórdia de Barretos, no Hospital de Câncer de Barretos e monitora educacional no Senac, local em que auxiliou na criação e coordenação da 1ª turma do curso técnico em nutrição e dietética da unidade de Barretos. 

Há quatro meses, ela compõe a equipe de nutricionistas do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). Com planos de atuação acadêmica, ela concluiu o mestrado em 2010 e atualmente dedica-se ao doutorado. 

“A Unimep ofereceu muitos caminhos dentro da universidade. Pude participar e aproveitar um pouquinho de tudo: ensino, pesquisa e extensão. Isso preparou-me para a vida fora da universidade. E os professores, além de contribuir para a formação de bons profissionais, desempenharam papel de formar cidadãos, com senso crítico e formadores de opiniões”, afirma.

Texto: Angela Rodrigues
Fotos: Fábio Mendes
Coordenação/jornalista responsável: Celiana Perina
Última atualização: 02/05/2012

registrado em: