Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Capes aprova dois projetos de pesquisa para o programa Bragecrim

Capes aprova dois projetos de pesquisa para o programa Bragecrim

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 08/09/2014 12h29, última modificação 26/04/2016 18h51
Por meio de iniciativas do Laboratório de Sistemas Computacionais para Projeto e Manufatura (SCPM), a Unimep teve dois projetos de pesquisa, de um total de cinco, aprovados pela Capes para o Programa Brazilian-German Collaborative Research Initiative on Manufacturing Technology (Bragecrim). São eles Componentes Inteligentes num Ambiente de Produção Inteligente - SCoPE, coordenado pelo professor Klaus Schützer, também responsável pelo SCPM, da Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo, e o projeto Otimização do Processo de Micro Fresamento – Micro-O, a ser desenvolvido sob a gestão de Alvaro José Abackerli, diretor do Núcleo de BioNanoManufatura do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) do Estado de São Paulo e pesquisador colaborador da Unimep.  Na universidade, Abackerli atuou como docente no período de 1990 a 2008. As iniciativas foram aprovadas por dois anos e podem ser prorrogados por mais dois.

“Nossa alegria foi ainda maior, pois foram aprovados somente cinco novos projetos e temos dois deles na Unimep. Os outros três são coordenados por pesquisadores de renomadas universidades federais, isto representa um destaque para a seriedade do trabalho de pesquisa que desenvolvemos, além de a excelente parceria que mantemos com o professor Alvaro”, destaca Schützer. Criado em 2008, o programa Bragecrim, resultado de parceria entre a Capes, o CNPq, a Finep e o Deutsche Forschungsgemeinschaft – DFG, apoia a cooperação científica e tecnológica entre grupos de pesquisa brasileiros e alemães e a formação de recursos humanos, com a mobilidade de docentes e de estudantes de graduação, mestrado, doutorado, além de estágios de pós-doutorado. A Unimep já teve dois projetos aprovados no programa Bragecrim, ambos concluídos em dezembro de 2013: HoliMan, coordenado por Abackerli, e FedMan, por Schützer.

SCoPE – Coordenado por Klaus Schützer, o projeto SCoPE (Smart Components within Smart Production Processes and Environments) propõe desenvolver componentes inteligentes que no processo de manufatura possam interagir de forma autônoma com os meios de produção inteligentes. Com essa interação, poderá ser possível, por exemplo, definir novas sequências no processo de fabricação a partir da falha de algum equipamento ou alterações de ordem de fabricação, dentre outros. Segundo o prof. Schützer, os componentes inteligentes também poderão se auto-orientar para buscar acasalamentos mais adequados na montagem de produtos de alta complexidade.

“Essa inteligência será desenvolvida por meio de sistemas cibernéticos localizados nos componentes em produção, que armazena o histórico daquele componente no seu processo de produção. Isso permite que se possa interagir com os meios de produção, também dotados desses sistemas cibernéticos”, destaca. Dentre os principais resultados estão uma produção flexível e que se auto-organiza, permitindo reduções de custo e prazos de entrega, além de mais formação e possibilidades de intercâmbio para os alunos da Unimep.



A equipe brasileira do projeto tem o prof Schützer como coordenador, e os pesquisadores: Alexandre Simon, docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGE) da Unimep, e Eduardo de Senzi Zancul, docente e pesquisador da Universidade de São Paulo. Já o coordenador alemão é Reiner Anderl, da Fachgebiet Datenverarbeitung in der Konstruktion (DiK), vinculado à Technische Universität Darmstadt, responsável pelas atividades relacionadas aos modelos do produto e componentes.

MICRO-O

Intitulado Otimização do Processo de Micro Fresamento (Micro milling process optimization), o projeto Micro-O irá investigar pontos importantes do processo de micro-fresamento para aprimorar a precisão e os tempos na cadeia de fabricação de micro-moldes. Por isso, propõe analisar as condições de usinagem, a segurança do processo e a precisão, desde o planejamento até o controle final do item manufaturado.

“Esse entendimento permite explorar as potencialidades para produzir, no futuro, micro-peças com alta qualidade e mínimo custo. O que há de inédito é a forma de investigar o processo, que envolve uma visão de vários aspectos simultâneos do processo de usinagem, além da sua relação”, afirma ele. Segundo Abackerli, o principal setor a ser beneficiado é o de fabricação de micro-componentes ou micro-peças de precisão. “Este tipo de necessidade aparece, por exemplo, na fabricação de moldes, peças para instrumentos médicos, odontológicos, aeronáuticos e aeroespaciais, componentes de precisão de máquinas e outros que necessitam de peças pequenas com características físicas minúsculas e alta qualidade de fabricação”.

Ele destacou que o conhecimento sobre o assunto é novo no Brasil e tem muito a contribuir para a indústria nacional. Além de Abackerli que atuará como coordenador e também dará o suporte técnico e científico nos desenvolvimentos realizados pela equipe relacionados à metrologia, área em que é especialista, a equipe brasileira do Micro-O terá como principais pesquisadores: o prof. Schützer; Erick Del Conte, professor associado da Universidade Federal do ABC e ex-aluno do curso de engenharia de controle e automação da Unimep, e Luciana Wasnievski da Silva de Luca Ramos, chefe do Laboratório de Micromanufatura do Núcleo de BioNanoManufatura do IPT.

Já a parceria alemã será com o Instituto para Máquinas Ferramentas e Gerenciamento da Fábrica (IWF) da Universidade Técnica de Berlin (TUB).

Texto: Angela Rodrigues
Fotos: Fábio Mendes/divulgação
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 08/09/2014

registrado em: