Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Alunos e docentes de psicologia auxiliam jovens da comunidade na escolha profissional

Alunos e docentes de psicologia auxiliam jovens da comunidade na escolha profissional

por Angela Rodrigues publicado 20/09/2016 08h00, última modificação 20/09/2016 20h12

A estudante do 3º ano do ensino médio do Colégio Piracicabano, Fabiane Esteves Andriolli, 17, estava indecisa entre as áreas de exatas e biológicas para definir a graduação que pretende cursar após o ensino médio. Em 2015, ela participou do Programa de Orientação Vocacional e Profissional oferecido no Centro de Estudos Aplicados em Psicologia (Ceapsi) da Unimep e acompanhou atividades como leituras de textos, pesquisas, testes e palestras. Ao final do processo, escolheu arquitetura. “Tinha medo de prestar vestibular, ser aprovada, iniciar o curso, mas não gostar do que iria encontrar. Li textos, aprendi a pesquisar sobre as profissões, acompanhei palestras, recebi dicas e realizei testes. O foco principal é o autoconhecimento, porque se a gente se conhece e sabe o que gosta, vai saber escolher uma profissão com a qual mais se identifica”, afirma a estudante.

Gratuito e aberto a todas as pessoas, jovens e adultos, o programa de orientação vocacional e profissional compõe as atividades de estágio do curso de psicologia da Unimep. A partir dele, alunos e interessados recebem auxílio e são estimulados a reflexões aprofundadas sobre as principais questões que determinam a escolha profissional. Dentre as atividades propostas estão a leitura de textos, aplicação de testes, palestras e debate sobre profissões e mercado de trabalho para os alunos das escolas participantes. As iniciativas são organizadas pelos alunos estagiários do curso, com a coordenação da supervisora de estágio do curso de psicologia da Unimep e do programa de orientação, profª Theresa Beatriz Figueiredo Santos.

“A orientação leva o jovem a se autoconhecer, refletindo sobre seus valores, habilidades e potencialidades, facilidades e dificuldades, e vida escolar para saber sobre as afinidades com áreas do conhecimento e experiências de trabalho e outras. Também há necessidade de refletir sobre as práticas profissionais, perspectivas e mercado de trabalho. Só assim ele terá condições de avaliar profissões que tem a ver com ele, qual área ele se daria melhor e quais atendem de forma mais completa o seu projeto de vida”, afirma a docente.

Para participar

Os interessados em participar podem fazer a inscrição no próprio Ceapsi (localizado no campus Taquaral da Unimep) e ingressar na lista de espera. As inscrições funcionam em fluxo contínuo e as chamadas ocorrem no início dos semestres. Nas escolas, o oferecimento é anual, nos espaços das próprias instituições, que possuem processos de inscrição definidos com as respectivas direções. Segundo Theresa, atualmente, são atendidas entre 15 e 20 pessoas por semestre no Ceapsi. Já nas escolas os atendimentos contemplam grupos de até 20 alunos, sendo que, em algumas escolas, as atividades do projeto são desenvolvidas com até três grupos.  

Um dos participantes do programa, também em 2015, foi Lucas Gris da Silva Pereira, 16, aluno do 3º ano do ensino médio do Colégio Piracicabano. Ele conta que tinha dúvidas entre as áreas de exatas e humanas. “Achei bastante positivo ter participado. Pude conhecer e descobrir todas as minhas habilidades e qual é a área que mais gosto de atuar”, conta. No final do ano, Pereira irá prestar vestibular para ingressar no curso de economia.


Texto: Angela Rodrigues
Edição: Celiana Perina
Fotos: acervo e banco de imagens
Última atualização: 15/09/2016