Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Curso de pedagogia: conhecimentos que vão além do ensinar a ensinar

Curso de pedagogia: conhecimentos que vão além do ensinar a ensinar

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 16/11/2011 14h28, última modificação 26/04/2016 18h48

Uma licenciatura capaz de preparar profissionais para os atuais desafios da educação, por meio de uma estrutura curricular interdisciplinar, organizada em núcleos temáticos com os saberes necessários à formação do conhecimento pedagógico. A descrição é o principal diferencial do curso de pedagogia da Unimep, na visão de Joana Maria Praconi Rezende, coordenadora da graduação. Na prática, significa a aquisição de conhecimentos e aplicação de ações que fazem a diferença nos processos educativos.

Possibilitar esse conhecimento é fruto do aprimoramento de 45 anos de criação e trabalho recém-completados pelo curso na instituição. Para comemorar a trajetória, vários eventos estão planejados para os próximos dias 17, 18 e 21/11, como apresentação musical, palestras e encontros de ex-alunos podem ser acessados na seção de agenda do site http://www.unimep.br/agenda.php?nid=1971.  

Dentre os instrumentos de ensino diferenciais da graduação utilizados por unimepianos que passaram por ela e atualmente disponíveis para os futuros profissionais, estão: laboratório de práticas pedagógicas; estágios em escolas públicas, espaços culturais e em projetos sociais; projetos de pesquisa e de extensão com apoio dos órgãos de fomento nacionais; convênios com Secretarias Municipais de Educação da região e convênio com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – Ministério da Educação (MEC) para oferecimento de turmas especiais de pedagogia por meio do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor). 

PAPEL SOCIAL 

Dentre os elementos que motivam o ingresso de alunos ao curso de pedagogia, Joana cita a contribuição social da profissão e o potencial de mudanças na sociedade. Já no nível pessoal, estão os desafios e crescimento na carreira. Foi para aprender os métodos do processo de aprender e ensinar e entender as sistemáticas envolvidas nessa área que levaram a universitária Rosana Cabral, 37, ao curso de pedagogia. 

“Considero o conteúdo curricular muito rico, e atribuo isso ao empenho do corpo docente. Além disso, há atividades além da sala de aula, tais como oficinas e seminários. O acesso a informação ocorre em todos os segmentos da universidade”, completa a aluna. Atualmente no 6º semestre, ela sonha em trabalhar na área da docência. “Ainda não sei em qual segmento da educação, se na atuação em sala de aula, na direção ou elaboração de políticas públicas, mas será no campo da educação”, afirma. 

A grade curricular e o corpo docente também foram determinantes para a escolha de Camila Mascella Rodrigues, 22, que cursa o 8ª semestre. “Aprendi a não me acomodar e nem criticar as dificuldades do cotidiano escolar, mas ser uma profissional consciente, pensar como um agente capaz de realizar mudanças. Acreditar que todos são capazes, independentemente das dificuldades, pois o professor precisa ter alternativas para despertar as potencialidades dos alunos”, afirma.

EXPERIÊNCIA 

Eloisa de Toledo Cruz, 25, graduada em 2009, e atualmente pedagoga em um abrigo municipal, considera-se uma pessoa diferente antes e depois do curso. Ela conta que na graduação pôde expandir a trajetória acadêmica para além da sala de aula. No curso, a pedagoga atou como presidente do centro acadêmico, participou por três anos do coral universitário e também por três anos foi bolsista do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) do Núcleo de Estudos e Programas de Educação Popular (Nepep). “O curso possibilitou uma nova compreensão de mundo, me tornei mais crítica. A Unimep nos traz a possibilidade de moldarmos nossa formação a partir de nossas identificações”, aponta. Para ela, os principais diferenciais da graduação são o corpo docente, os projetos de pesquisa, as atividades complementares e o estágio supervisionado.


CARREIRA 

No campo escolar as duas áreas que mais se destacam são a docência e a gestão escolar. Já no campo não escolar, há o trabalho em assessorias de museus e espaços culturais, editoras, rádio, televisão e internet, que segundo ela, constituem-se em áreas em expansão para este profissional. Além disso, há o desenvolvimento de projetos educacionais em empresas, asilos e hospitais, como aponta a coordenadora. “O nível de empregabilidade é bastante alto, tendo em vista a expansão das taxas de matrícula na educação básica. Também a atuação em áreas não escolares se mostra promissor, demandando profissional com conhecimento pedagógico em vários setores da sociedade”, completa ela.

No mercado desde que se graduou, Eloisa conta que todos os colegas de sua turma, atuam na área. “São infinitos os desafios de um professor, dentre eles o de se deparar com uma diversidade cultural e conseguir atuar de forma a valorizar cada realidade. Temos o desafio de formar pessoas humanizadas que percebam a importância de se comprometer socialmente”, afirma.

Entrevistas e texto: Angela Rodrigues 
Fotos: Fábio Mendes l
Edição/jornalista responsável: Celiana Perina
Última atualização: 16/11/2011

registrado em: