Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Docente de letras-inglês assina tradução de livro infantil; obra já está à venda

Docente de letras-inglês assina tradução de livro infantil; obra já está à venda

por Angela Rodrigues publicado 06/08/2020 08h00, última modificação 10/08/2020 14h48

Movida a novos desafios, a docente do curso de letras-inglês tradução e interpretação da Unimep, profª Fernanda Bacellar, foi convidada a participar de um projeto na área da literatura infantil, em parceria com duas autoras: Ivana Negri  e Carmen Pilotto.

O resultado se tornou conhecido em março desse ano, com o lançamento de “Edmundo, o gafanhoto arteiro e Serafina, a baratinha assanhada”, na versão em bilíngue (português-inglês). A obra reúne as estórias do gafanhoto Edmundo, de autoria de Carmen Pilotto, e da baratinha Serafina, assinada por Ivana Negri.

O convite para participar do projeto veio em 2010, ano em que as escritoras Ivana Maria França de Negri (piracicabana), e Carmen Pilotto (paulistana), convidaram Fernanda a traduzir duas de suas obras infantis para a língua inglesa. O livro teria lançamento presencial na universidade, mas com as medidas de isolamento adotadas na cidade, o lançamento ocorreu apenas no formato virtual.

Fernanda conta que a tradução da obra foi rápida; no entanto, o processo para a publicação foi longo. “Nós decidimos bancar a publicação em 2019 e o livro foi lançado em 2020, com cunho social para ajudar o Espaço Pipa, que trabalha com crianças com Síndrome de Down, em Piracicaba”, afirma ela.

Direcionada às crianças e também aos adultos, a obra “Edmundo, o gafanhoto arteiro e Serafina, a baratinha assanhada”, de 66 páginas, já está à venda e pode ser adquirida pelo e-mail: ivanamfn@yahoo.com.br.  O valor é R$ 25,00.

PERSONAGENS – Autora da estória de Serafina, Ivana Negri conta que ela e Carmen Pilotto, decidiram colocar personagens não muito simpáticos “para mostrar às crianças que todos os seres podem ser legais, não só os “bichinhos fofinhos””. Segundo Ivana, a proposta foi mencionar a lição de que os “diferentes” também têm sua função no planeta e todos merecem respeito.

Carmen, autora de Edmundo, conta que o personagem surgiu em suas fantasias. “Queria um animalzinho que tivesse um comportamento diferente, que sonhasse em ser um artista e pensasse num futuro diferente e inovador. Depois da ideia formada, escrevi minha estória em uma hora. Mandei para a minha amiga Ivana, que incorporou a ideia e de imediato criou a versão feminina, Serafina, uma baratinha que desejava ter amizade com os humanos. Pensamos em incluir a versão bilíngue para que fosse mais um benefício da obra. Como Fernanda Bacellar é minha amiga, de imediato aderiu ao sonho. O ilustrador da obra, Renato, foi uma excelente indicação de Ivana” detalha Carmen.

“Edmundo e Serafina desejam dizer que podemos sonhar e que podemos transformar nosso destino. Precisamos sim, correr atrás do que desejamos sem nos importar com estereótipos criados pela sociedade”, afirmou a idealizadora de Edmundo. 

DESAFIOS – A docente Fernanda aponta que o principal desafio para a publicação de “Edmundo e Serafina” foi no campo financeiro. “O maior desafio para se publicar livros no Brasil é incentivo financeiro”, afirmou.

Também para a autora Carmen Pilotto, esse foi o principal obstáculo. “Lançar livros no Brasil é um desafio. Especialmente nós que custeamos nossas obras para distribuição em saraus, em escolas e para premiações de concursos literários locais. Embora Piracicaba seja uma cidade de porte médio, não tem muitas opções de editoras. Queríamos um livro de qualidade, daí resolvemos fazer bilíngue. Somente este processo leva de dois a três anos para acontecer. Queríamos também um livro alegre, com ilustrações e formatação atrativas, o que também demandou inúmeras conversas com o ilustrador para explicar o que traçamos para nossos personagens”, contou ela.

Para lançar e divulgar a obra, as autoras empreenderam distintos processos. “Todos eles demandaram muita energia, mas a gente não desistiu. Acreditamos em uma educação de qualidade com mais opções de livros paradidáticos de boa qualidade. Além de todos esses entraves, tudo é muito caro se você deseja criar com consistência: ilustração, edição, festa de lançamento, etc., mas nós não gostamos de pular nenhuma etapa, as crianças gostam de novidades e nós também”, conta Carmen. 

NOVAS OBRAS – Após a produção desenvolvida em parceria com Carmen e Ivana, a docente Fernanda Bacellar participou de outras traduções de obras infantis. “Em 2012, juntamente  com a aluna do curso de letras-inglês, Gláucia Piacentini, traduzimos o primeiro livro da coleção Insetos, do prof. Sérgio Batista Alves, do Departamento de Entomologia da Esalq/USP, publicado pela Fealq, intitulado "A abelhinha trabalhadora”.

Também juntamente com alunos da graduação da Unimep, Fernanda traduziu as obras: “A Formiguinha Safada”, também com Gláucia Piacentini; “A Borboleta Graciosa”, traduzida com Juliana Cyrino, aluna de letras e com especialização em tradução; “O Bicho da Seda Inteligente”, com a estudante Mariane Godoy, aluna de letras-inglês tradução e interpretação; e o livro “O Pernilongo Bicudo”, em parceria com Rodrigo Bueno, aluno de letras-inglês tradução e interpretação.

TRAJETÓRIAS – Ivana Negri, piracicabana, é autora de obras distintas, dentre as quais um livro de contos e crônicas,  e vários livros para crianças, além de participar de dezenas de coletâneas.

Professora, ela é integrante da Academia Piracicabana de Letras, do Centro Literário de Piracicaba, do Grupo Oficina Literária de Piracicaba e do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba. Realiza trabalho voluntário no Recanto dos Livros no Lar dos Velhinhos de Piracicaba. Possui 82 premiações em diversos concursos literários de vários estados brasileiros e também no exterior e tem obras publicadas em mais de 40 antologias de contos, crônicas e poesias. Dentre as suas próximas obras a serem publicadas, está planejando o lançamento de “A Lenda da Noiva da Colina”, com ilustrações de sua neta.

Já nascida em São Paulo, Carmen Pilotto, se mudou para Piracicaba aos 18 anos. “Sou piracicabana de coração”, afirma ela.

Graduada em Letras, com pós-graduação em administração pela Escola de Engenharia de Piracicaba, ela trabalha na Esalq/USP há mais de 32 anos, onde atualmente exerce a função de assistente técnico de direção. É responsável pelo setor de cerimonial, e responde pela ritualística dos eventos acadêmicos, além de elaborar materiais institucionais e discursos em distintas ocasiões. 

Carmen é membro da Academia Piracicaba de Letras, do Centro Literário de Piracicaba, do Grupo Oficina Literária de Piracicaba e do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba, além de voluntária no Recanto dos Livros do Lar dos Velhinhos de Piracicaba. Ela também mantém parceria com escritores que acreditam na melhoria do mundo pela literatura, especialmente com a escritora Ivana Negri. 

Carmen possui outra obra lançada: o livro infantil “Quatro cantos em quatro contos”, que teve duas edições, produzido em coautoria com outras três escritoras; e lançado em versão braile. O livro trazia o destaque dos elementos da Natureza e seu enredo tratava da conservação dos mesmos.  Nossa linha agora é atuar no segmento infantil para oferecer materiais que tragam valores, fantasia e que ampliem o interesse pela literatura”, afirma.

Sobre os seus próximos lançamentos, ela conta que há dois projetos em andamento: uma revista com fotos e textos sobre Piracicaba, que deverá ficar pronta em agosto, em parceria com um amigo do trabalho; e novo livro infantil, em parceria com Ivana Negri, que traz no enredo as aventuras de um tsuruzinho viajante.

 

Texto: Assessoria de Comunicação Unimep
Fotos: acervo pessoal Carmen Pilotto
Última atualização: 27/07/2020