Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Docente e ex-aluno de pós-graduação são convocados para a comissão técnica da Seleção Brasileira de Karatê

Docente e ex-aluno de pós-graduação são convocados para a comissão técnica da Seleção Brasileira de Karatê

por Angela Rodrigues publicado 14/08/2020 08h00, última modificação 17/08/2020 16h07

A docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Unimep (PPG-CMH) Charlini Simoni Hartz (foto ao lado à esquerda), 33, e o ex-aluno, Diego Spigolon (foto à direita), 37, foram convocados, em junho, para integrar a Comissão Técnica da Seleção Brasileira de Karatê.

Charlini, doutora e atualmente professora do PPG-CMH, supervisionará a Fisioterapia da Seleção Brasileira Sênior (modalidade Kumite). Já Diego, que obteve a titulação de mestre, coordenará a Comissão Técnica da Seleção Brasileira de Karatê Adulta. Ambos foram orientados, durante a pós-graduação, pela professora Marlene Aparecida Moreno, atual Diretora das áreas de Pós-Graduação e Pesquisa; e Extensão e Cultura e Coordenadora do PPG-CMH da Unimep.

Pelas medidas de proteção contra o Coronavírus, não há atividades presenciais confirmadas nesse momento; todo o trabalho é realizado por meio de videoconferências com treinos técnicos e físicos. No entanto, a responsabilidade é imensa, pois o Karatê irá estrear como nova modalidade esportiva dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021.

PREPARAÇÃO DOS ATLETAS – Charlini conta que essa não é a primeira convocação em sua trajetória profissional: “já tive participação em várias atividades da seleção desde 2016, quando eram realizadas fases de treinamento em Piracicaba (sob o comando do técnico Diego Spigolon). Por meio do nosso trabalho conjunto fui convocada para o comando da Fisioterapia da equipe Feminina Sênior, inclusive com participação no Campeonato Pan-Americano Sênior em 2018”, conta ela.

O objetivo atual, durante esse período de isolamento social, é a manutenção das atividades de treino, preparação física e prevenção de lesões dos atletas.

Já Diego participou da comissão pela primeira vez em 2014, no papel de técnico da seleção de base e sênior. Agora, ele afirma que o objetivo é nortear a preparação dos atletas para extrair o melhor desempenho atlético durante as competições, principalmente nas Olimpíadas.

“Esta será a comissão técnica que passará pela primeira experiência olímpica do Karatê, já que a modalidade irá debutar nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2021, o que nos traz grande responsabilidade. Quando os encontros presenciais voltarem, possivelmente teremos Camps de treinamento no centro de treinamento do Time Brasil no Rio de Janeiro, além de possíveis encontros em Piracicaba e Florianópolis. Também temos programado Camps internacionais com alguns atletas brasileiros com grande potencial para a classificação e medalha olímpica”.

FORMAÇÃO ACADÊMICA – Ser reconhecida profissionalmente, trabalhar com atletas de alto rendimento e ter oportunidade de aplicar conhecimentos e conceitos na prática é fonte de entusiasmo para Charlini, que foi atleta profissional de handebol.

Ela tinha, desde o começo, a meta de atuar na área da fisioterapia esportiva. Para alcançá-la, ela conta que estudar na universidade foi fundamental. “Desde a graduação em fisioterapia já tive contato com o estágio na área, supervisionado pelo professor Sérgio Borin, que foi uma grande inspiração. Por esse contato, segui a formação no curso de especialização de Fisioterapia Esportiva na Unimep, e de lá ingressei no curso de Mestrado e Doutorado sob a orientação da professora Marlene Aparecida Moreno, onde me engajei com projetos de pesquisa voltados especificamente à fisioterapia esportiva. A Unimep sempre foi uma instituição que prezou pela união de ciência e prática (desde a graduação), e por esse motivo ingressei na formação lato e stricto sensu. Hoje tenho certeza de que todos os frutos que estou colhendo na carreira profissional se devem a essa formação consistente e inspiradora”, afirma Charlini.

Para Diego, a conquista vem de todo o histórico familiar. “Foi através do meu pai, Otávio José Spigolon, um dos precursores da modalidade em Piracicaba, que me apresentou a arte marcial e acompanhado de minha mãe, Antonia, e irmão, Danilo, ele norteou nossa família a seguir nos ensinamentos do esporte. Além disso, tal nomeação mostra a confiança da Confederação Brasileira de Karatê no meu trabalho e dedicação em prol do esporte”.

A formação acadêmica, segundo ele, trouxe confiança, propriedade e autonomia para tomar decisões: “acredito que um bom profissional deve aliar o conhecimento à prática para ter plenitude no que realiza. Sem dúvida, a Unimep é parte importante da minha história. Aliás, fui bolsista na época da graduação, fruto de um antigo convênio entre a instituição e a Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras (Selam), o que me faz ser profundamente grato”.

 

 

Texto: Serjey Martins
Fotos: acervo Unimep e acervo pessoal Charlini Hartz e Diego Spigolon
Última atualização: 06/08/2020