Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Docentes da Facis e da Feau têm projetos aprovados pelo CNPq

Docentes da Facis e da Feau têm projetos aprovados pelo CNPq

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 26/12/2013 09h57, última modificação 26/04/2016 18h50
As docentes Cinthia Lopes da Silva (foto à esq.) e Marlene Aparecida Moreno (foto abaixo), vinculadas ao Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Faculdade de Ciências da Saúde (Facis), e Maria Célia de Oliveira Papa (foto capa), do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo (Feau), tiveram os respectivos projetos de pesquisa aprovados no edital universal do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O programa oferece apoio financeiro a projetos que contribuam para o desenvolvimento científico e tecnológico do país, em qualquer área do conhecimento. A divulgação dos contemplados ocorreu em outubro e os projetos das três docentes da Unimep receberão auxílios financeiros que variam entre R$ 11 mil e 27 mil reais.

QUADRINHOS

Quadrinhos e Super-Heróis: Educação para o Lazer é o título do projeto coordenado por Cinthia Lopes da Silva, professora dos cursos de graduação e do mestrado em educação física e do mestrado e doutorado em ciências do movimento humano da Facis. O projeto, que teve o auxílio de R$ 11.556,00 aprovado pelo CNPq para a compra de equipamentos e suprimentos para o laboratório de corporeidade e lazer e de livros, será desenvolvido entre janeiro de 2014 a dezembro de 2016. A pesquisa oferece a possibilidade de inovação na mediação pedagógica a partir das histórias em quadrinhos.

Dividido por etapas, o projeto analisará um dos exemplares das HQs Panini Comics/Marvel Comics, descreverá uma experiência pedagógica em duas escolas da rede pública de ensino de cidades de médio e pequeno porte do Estado de São Paulo, tendo como finalidade a educação para o lazer e irá comparar a experiência pedagógica realizada nas duas instituições.

FISIOTERAPIA


Já a pesquisa Efeitos do Treinamento Físico Aeróbio Aquático Sobre a Composição Corporal e Variáveis Cardiorrespiratórias de Pacientes com Doença Arterial Coronariana (DAC), será desenvolvido de janeiro de 2014 a janeiro de 2016. Coordenada por Marlene Aparecida Moreno, professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Facis, a pesquisa terá a participação de alunos da graduação e da pós-graduação de fisioterapia, que irão participar da seleção, avaliação e treinamento dos voluntários e ajudar na análise dos dados e realização dos relatórios e artigo científico. O projeto teve R$ 27 mil concedido pelo CNPq para a compra de equipamentos.

De acordo com a coordenadora, a iniciativa trará importante contribuição à comunidade científica e sociedade em geral, com o esclarecimento sobre as adaptações fisiológicas obtidas pelo treinamento físico aeróbio aquático em pacientes com DAC, a partir da divulgação do conhecimento técnico e científico alcançados.

MEDIAÇÃO 

Avaliar as características geométricas e dimensionais de superfícies de forma livre considerando os erros e a incerteza de medição ponto a ponto, estimados a partir da avaliação de desempenho do sistema e atribuídos aos pontos medidos na peça é o objetivo do estudo Avaliação dos erros e das incertezas na medição de superfícies de forma livre, coordenado por Maria Célia de Oliveira Papa, docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Feau. Nele, dois alunos de mestrado e um de iniciação científica irão desenvolver atividades distintas.

“Além da inserção e integração dos alunos que participarão direta ou indiretamente no desenvolvimento do projeto, o tema situa-se na fronteira do conhecimento em termos de metrologia para superfícies de forma livre.

Desta forma, tem-se a expectativa de que os conhecimentos adquiridos no desenvolvimento do projeto sejam somados aos que fazem parte da disciplina de metrologia, contemplando os alunos das diversas engenharias. Além disso, deverá resultar em publicações, as quais certamente serão realizadas em parceria entre os professores e os alunos envolvidos no projeto”, detalha Maria Célia. O auxílio concedido pelo CNPq contempla bens de capital e de custeio, sendo R$11 mil para o custeio e R$ 3 mil o capital.

 

Texto: Angela Rodrigues
Fotos: Fábio Mendes
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 26/12/2013

registrado em: