Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Engenharia: mercado promissor e emprego aos bons profissionais

Engenharia: mercado promissor e emprego aos bons profissionais

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 29/11/2011 10h24, última modificação 26/04/2016 18h48

Mercado aquecido e emprego garantido para bons profissionais. Estes são atrativos que permanecerão relacionados ao campo das engenharias, por pelo menos, até os anos em que ocorrerão grandes eventos no Brasil, como a Copa do Mundo, em 2014, e Olimpíadas, em 2016. As informações baseiam-se em estudos, projeções e pesquisas de instituições e órgãos do segmento, dentre as quais a da Confederação Nacional das Indústrias, que aponta a demanda de 150 mil novos profissionais em todo o país. De acordo com o vice-diretor da Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo (Feau) da Unimep, Roberto de Souza Júnior, os números traduzem a realidade dos universitários, após a conclusão da graduação. 

“A empregabilidade é alta, posso dizer que 100% dos estudantes conseguem uma colocação após concluir a faculdade, visto que durante a graduação, há busca dessas empresas por alunos para estágios”, diz. Dentre as empresas parceiras estão Romi, Honda, Bosh, Caterpillar Brasil, Arcelormittal Brasil S.A e Raízen. Souza Júnior acrescenta que a demanda é resultado do crescimento do país, investimentos internos e de multinacionais. 

“Com o funcionamento dos parques tecnológicos de Santa Bárbara d´Oeste e de Piracicaba, essa busca por profissionais tende a aumentar”, afirma. Candidatos, alunos e profissionais que identificam-se com a área ou buscam por aperfeiçoamento, podem escolher oito opções oferecidas pela Unimep: engenharia de produção; engenharia de alimentos; engenharia química; engenharia elétrica; engenharia de controle e automação; engenharia mecânica; engenharia civil e engenharia industrial mecânica.  Conheça alguns dados sobre as opções: 

Engenharia de produção - “A engenharia de forma geral, dedica-se à criação e ao aprimoramento de produtos e serviços, que atendem aos vários interesses da sociedade. No caso da engenharia de produção, o foco principal é trabalhar os sistemas que realizam produtos e serviços. Estes sistemas são constituídos pelo agrupamento de pessoas, materiais, equipamentos e ambiente. Exemplos destes sistemas podem ser encontrados em toda parte, como uma organização de manufatura, uma loja, um banco ou, mesmo, um serviço público”, Luis Carlos da Cunha Colombo, coordenador.  
Para mais informações acesse: http://unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=31

Engenharia de alimentos – “O curso tem conceito 4 pelo Inep/MEC e forma engenheiros com capacidade de desenvolver atividades ligadas ao projeto de elaboração do produto alimentício, fábrica de alimentos e instalação do processo de industrialização de alimentos, bem como da operação e de gestão de instalações das indústrias processadoras de alimentos. A profissão está colocada como uma das cinco áreas com melhores perspectivas de mercado, considerando a projeção de carreira profissional para os próximos cinco anos”, Valmir Eduardo Alcarde, coordenador. 
Para mais informações acesse: http://unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=86

Engenharia química - “Está estruturado para formar engenheiros com sólida formação técnica, científica e profissional, preparando-os para absorver, desenvolver e aplicar novas tecnologias aplicadas à área química, aproveitando de forma sustentável os recursos naturais do país. O curso proporciona ao futuro profissional a capacidade de conduzir experimentos, interpretar resultados e projetar; incentiva a atuação em equipes multidisciplinares; capacita para a identificação, formulação e resolução de problemas de engenharia química; estimula o desenvolvimento do espírito empreendedor e conscientiza sobre os impactos das atividades da engenharia química no contexto ambiental e social”, Valmir Eduardo Alcarde, coordenador. 
Para mais informações acesse: http://unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=64

Engenharia elétrica - “Estes profissionais são capacitados para atuar nas áreas de eletrônica, eletrotécnica e automação. Desenvolvem a capacidade de equacionar problemas de engenharia elétrica utilizando conhecimentos de eletricidade, matemática, física, química e informática, com propostas de soluções adequadas e eficientes. Adquire conhecimentos nas áreas de eletrônica analógica e digital, acionamentos, máquinas elétricas, automação e controle, geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, qualidade de energia, entre outros. Com soluções criativas e engenhosas, o engenheiro eletricista trabalha com toda a forma de energia”, Edgar Alberto de Brito. 
Para mais informações acesse: http://unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=145

Engenharia de controle e automação - O curso forma profissionais para atuar em áreas técnicas de instrumentação, de controle, de eletrônica e sistemas digitais e de técnicas de comando, e que sejam capazes de equacionar e propor soluções aos problemas de engenharia utilizando conhecimentos adquiridos durante a sua formação”, Edgar Alberto de Brito. 
Para mais informações acesse: http://unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=60

Engenharia mecânica
- “O objetivo é formar profissionais capacitados para atuar nas áreas técnicas da engenharia mecânica, que englobam as áreas de projeto e sistemas mecânicos, de materiais e processos mecânicos, de energia, de sistemas térmicos e fluídos, de controle e automação, de gestão econômica e financeira e meio ambiente. O futuro engenheiro mecânico recebe uma formação básica e humanística, capaz de facilmente levá-lo a adaptar-se às mudanças sócio-econômicas e tecnológicas, gerando métodos ou produtos que satisfaçam as novas demandas e facilite adequar-se às mutações e exigências profissionais do mercado de trabalho”, André de Lima, coordenador.
Para mais informações acesse: http://unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=103 

Engenharia Civil –  \"A proposta é formar engenheiro habilitado para atuar nas áreas técnicas da construção, além de projetar, gerenciar e executar obras, como casas, edifícios, pontes, viadutos, estradas, barragens, canais e portos. Cabe a este profissional garantir a estabilidade e a segurança da edificação, calculando os efeitos dos ventos e das mudanças de temperatura na resistência dos materiais. Ele pode ainda dedicar-se à administração de recursos prediais, gerenciando a infraestrutura e a ocupação de um edifício. No canteiro de obras, chefia as equipes de trabalho, supervisiona prazos, custos, padrões de qualidade e de segurança”, Natanael Jardim, coordenador.
Para mais informações acesse:
http://www.unimep.br/gdc_cursos_conteudo.php?cod=164


Texto: Angela Rodrigues
Edição de texto e coordenação: Celiana Perina
Fotos:  Fábio Mendes e banco de imagens
Última atualização: 29/11/2011

registrado em: