Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Intercambistas falam sobre amadurecimento e conhecimento

Intercambistas falam sobre amadurecimento e conhecimento

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 04/02/2014 11h01, última modificação 26/04/2016 18h50

Iniciar 2014 aproveitando as oportunidades de aprendizado, conhecimento e crescimento pessoal a partir de o contato com uma nova cultura tem sido a experiência vivida por dez unimepianos. Matriculados em distintos cursos de graduação, estes alunos participam de diferentes programas de intercâmbios distribuídos em quatro países: Alemanha, Japão, Portugal e México.

Com retorno ao Brasil em datas distintas, compõem a turma de intercambistas os unimepianos: Petterson Leyver de Souza, 23, do 8° semestre de engenharia de produção; Marcelo Octávio Tamborlin, 22, aluno do 9° semestre de engenharia mecânica; Felipe Alves de Oliveira Perroni, 23, que cursa o 9° semestre de engenharia mecânica; Bruno Sales Salvador, 27, do 8° semestre de engenharia de produção; Daniel Pion Antonio, 24,  do 8° semestre de engenharia de produção, e Gabriela Nimtz Garcia, 22, aluna do 8° semestre de arquitetura e urbanismo, todos eles estão na Alemanha. 

Além deles, até março desse ano, permanecerão no Japão, na Nagasaki Wesleyan University, os universitários Guilherme Moraes Migotto, 24, do 7º semestre de música, e Diego Marcondes, 23, do 8º semestre de negócios internacionais. Compõem ainda a equipe de intercambistas: Evandro Delaminuta Januário, 24, que cursa o 7º semestre de educação física e ficará na Universidade do Algarve, em Portugal, até junho; e Danilo Craveiro Cardoso, 19, do 3º semestre do curso de cinema e audiovisual, que estudará na Universidad Madero, no México, também até junho.

ALEMANHA

Dos dez alunos da Unimep que estudam no exterior, seis participam das iniciativas internacionais por meio de projetos de pesquisa do Laboratório de Sistemas Computacionais para Projeto e Manufatura (SCPM) com instituições alemãs. As parcerias existem a partir do programa Bragecrim, um convênio de pesquisa colaborativa entre Brasil-Alemanha na área de tecnologia e manufatura, no qual o Laboratório SCPM mantém dois projetos: FedMan e HoliMan. Vinculados a eles, estão desde fevereiro do ano passado na Universidade Técnica de Darmstadt (TUD), Alemanha: os alunos Petterson Souza e Marcelo Tamborlin.

Já Felipe Perroni permanece desde fevereiro do ano passado na Universidade Técnica de Berlim, instituição que desde agosto passado também recebeu Bruno Salvador. Ainda na Alemanha, intercambista na Hochschule RheinMain, está Daniel Pion Antonio, e na Hochschule Nubrandenburg, na cidade de Neubrandenburg, estuda a unimepiana Gabriela García. Todas as atividades de pesquisa dos alunos são desenvolvidas sob a orientação do prof. Klaus Schützer, também coordenador do Laboratório SCPM. Em dezembro, eles se reuniram com o docente, na Universidade Técnica de Darmstadt (TUD) para apresentar as atividades com as quais estão envolvidos.

“A ideia era que demonstrassem os resultados obtidos até o momento, como aprendizado da língua, matérias cursadas, andamento das atividades no Projeto Bragecrim, entre outros. Cada apresentação individual teve a duração de uma hora onde foi possível discutir detalhadamente o trabalho desenvolvido e planejar as atividades até o final do período de intercâmbio”, detalha Schützer.


MEMÓRIAS 

Petterson Souza, que participa pela primeira vez de uma experiência internacional, na Universidade Técnica de Darmstadt (TUD), Alemanha, conta que o intercâmbio garantiu o aprendizado de uma nova língua e que as aulas enriquecem a sua formação profissional e complementam o conhecimento obtido na Unimep.  “Já no âmbito pessoal, o intercâmbio contribui com a disciplina e o conhecimento da cultura alemã”, conta ele.

Estudar na Alemanha também consiste na primeira experiência internacional da unimepiana Gabriela Garcia. Ela conta que a iniciativa colabora muito para o amadurecimento, já que é preciso enfrentar desafios básicos que antes não eram exigidos.  “Aprendi o gosto de comidas novas, a me comunicar em outras línguas, a respeitar outras culturas, a ser adepta ao transporte público eficiente, e ainda aprendi a lidar com a saudade de tudo o que conhecia”, elenca a universitária. Em relação à formação profissional, ela cita as visitas aos lugares sobre os quais havia lido ou estudado. “Pude fazer muitas observações sobre cidades, jardins, edifícios e pessoas que visitei em diferentes circunstâncias, algo que posso e devo utilizar em um futuro projeto”, completa.

Após a reunião em dezembro com o prof. Klaus, o grupo de intercambistas na Alemanha fez um passeio pelas ruas de Darmstadt e pôde conhecer os principais pontos turísticos, além de jantar em um restaurante típico alemão. Além da discussão sobre o andamento do programa de intercâmbio, o encontro proporcionou aos estudantes, o aprendizado da história do município e do país. Deste passeio cultural, o local que mais chamou a atenção de Souza foi Mathidenhöhe.

“É o ponto mais alto, de onde é possível ter uma vista geral da cidade”, conta ele. O interesse de Gabriela foi maior com a visita à Russische Orthodoxe Kirche (Igreja Ortodoxa Russa). “Além de ser uma construção espetacular, a história do prédio vai além. Tsar Nicholas II e Tsarina Alexandra formavam um casal russo muito religioso e decidiram construir uma Igreja Ortodoxa Russa em Darmstadt. Mas uma Igreja Ortodoxa Russa não pode ser construída em terras estrangeiras, somente em terra russa, portanto Nicholas II decidiu abrir um buraco no chão e o cobrir com terras trazidas da Rússia, para assim então poder construir a Russische Orthodoxe Kirche”, conta ela, que certamente guardará este aprendizado na memória por muito tempo.


Texto: Angela Rodrigues
Fotos: Divulgação/Acervo Unimep
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 04/02/2014

registrado em: