Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Lançamento de livro e homenagens a Boaventura ocorrem no dia 17

Lançamento de livro e homenagens a Boaventura ocorrem no dia 17

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 13/03/2012 10h58, última modificação 26/04/2016 18h48

Um encontro que inclui um ato litúrgico promovido pela Pastoral Escolar e Universitária do Instituto Educacional Piracicabano (IEP) da Igreja Metodista e pela Igreja Metodista de Matão, e a participação de representantes das comunidades de alunos, funcionários e professores da Unimep, dá início a uma série de homenagens e atividades a serem promovidas ao longo do ano em homenagem ao professor Elias Boaventura, que morreu no início de janeiro. 

A iniciativa tem o objetivo de, por meio de ações distintas, homenagear o docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e ex-reitor da universidade. No encontro está previsto também o lançamento de um livro inédito produzido por Boaventura, e a apresentação de depoimentos sobre o ex-reitor. O evento, que é aberto a todos os interessados, ocorre no próximo sábado, 17, às 19h30, no Salão Nobre do campus Centro da Unimep. 

A programação foi elaborada por uma comissão especial responsável pela definição e realização das atividades, criada em janeiro, pela Reitoria. A equipe é formada por Gustavo Jacques Dias Alvim, vice-reitor; Josué Adam Lazier, coordenador de Extensão e Assuntos Comunitários; Maria Nazaré da Cruz, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação; Claudia da Silva Santana, diretora da Faculdade de Ciências Humanas (FCH) e também Almir de Souza Maia, que ocupou o cargo de reitor nos anos de 1986 a 2002. 

LIVRO 

Um dos pontos altos da cerimônia é o lançamento da obra de autoria do professor Elias Boaventura, ainda inédito. Editado pela Diagrama Editorial, a obra \"Desmemórias 2 – A Lição que Ficou\", foi produzida por Boaventura há aproximadamente cinco anos, de acordo com sua esposa  Sylvana Zein. 

Ela destaca que na obra, ele apresenta em formato de contos, experiências da infância, da adolescência, da juventude e acontecimentos ocorridos na idade adulta. “São relatos sobre fatos e pessoas que ele encontrou, e que o marcaram muito”, afirma. O livro é ilustrado por Maria Luisa Amorim Costa Bissoto. 


EDUCAÇÃO E POLÍTICA 

Contestador, idealizador de projetos em defesa de grupos minoritários e de parcerias e convênios internacionais foram alguns dos principais fatos que marcaram a postura de Elias Boaventura na educação e em outros segmentos sociais de Piracicaba e região. Ao longo de sua trajetória política e acadêmica, ele idealizou e participou de eventos de declarada oposição à ditadura militar, movimentou a universidade com a discussão de tendências políticas, além da realização de congressos políticos e populares no período em que atuou como reitor da Unimep, nos anos de 1978 a 1986. 

No entanto, a liderança já era traço marcante na personalidade de Boaventura tempos antes de ele ingressar como assessor administrativo da universidade, em 1973. Nos anos de 1954 e 1960, período em que estudou no Instituto Metodista Granbery, localizado em Juiz de Fora, Minas Gerais, Boaventura destacou-se pela atuação como líder dos puritanos e aspirantes ao ministério da Igreja Metodista, conforme conta o professor Benjamim Garcia de Matos, docente da Unimep e colega do professor no Granbery. 

“Nós organizávamos o trabalho com a mocidade da igreja, naquele período. O prof. Elias conseguiu despertar nos grupos jovens um retorno à igreja, e por esse motivo, contribuiu muito com a Igreja Metodista. Era um líder nato, definido com mérito para ocupar essa posição”, diz Matos. 

Matos lembra que, no mesmo período, Boaventura foi eleito presidente da Sociedade de Jovens da Igreja Metodista. Além disso, presidiu o Conselho Diretor do Granbery, em Minas Gerais. Ao longo de sua trajetória acadêmica, acumulou o cargo de presidente do Cogeime (Conselho Geral das Instituições Metodistas de Ensino). Boaventura foi também membro da Academia Granberyense de Letras, Artes e Ciências, componente do Clube de Escritores de Piracicaba e presidente de honra do Núcleo do Partido dos Trabalhadores – Comunidade, dentre outras atividades. 

TRAJETÓRIA 

Nascido em 28 de janeiro de 1937, em Coimbra, Minas Gerais, Boaventura graduou-se em pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santa Marcelina, no ano de 1969. Em 1973, veio a Piracicaba e ingressou na Unimep como assessor administrativo. Concluiu o mestrado em educação em 1978, pela Unimep, e o doutorado na mesma área, em 1988, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 

O professor atuou por oito anos como reitor da Unimep, no período de 1978 a 1986. Antes disso, foi vice-reitor na gestão de Richard Edward Senn, nos anos de 1975 e 1978. Ao longo de sua atuação acadêmica, escreveu cinco livros; teve dezenas de textos publicados em jornais e revistas; foi orientador de 29 dissertações de mestrado e de 10 teses de doutorado. Também participou de 35 bancas examinadoras para dissertações de mestrado e de 15 teses de doutorado.

Texto: Angela Rodrigues 
Fotos: Fábio Mendes e arquivo Unimep 
Coordenação/edição: Celiana Perina 
Última atualização: 13/03/2012

registrado em: