Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Lojistas concluem curso de boas práticas de manuseio de alimentos

Lojistas concluem curso de boas práticas de manuseio de alimentos

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 04/12/2014 14h09, última modificação 26/04/2016 18h51

Um grupo de aproximadamente 20 lojistas das praças de alimentação e fornecedores de alimentos dos campi Centro, Taquaral e Santa Bárbara d´Oeste concluiu, no último dia 27, o curso piloto sobre boas práticas de fabricação e manuseio de alimentos. Ministrada pelas alunas do 8º semestre do curso de nutrição Rafaela Neves e Tatiane Gimenez, a iniciativa é resultado de um projeto de TCC das estudantes e ocorreu em outubro e novembro, com a supervisão da coordenadora da graduação, Rita de Cássia Furlan Pecorari (foto).

As alunas e a docente contam que o desconhecimento da legislação que regulamenta as boas práticas de fabricação, dúvidas de higiene pessoal, tais como relacionadas a uniformes e higiene das mãos, armazenamento e higienização de ovos, muito usados nas preparações de alimentos, foram algumas das principais dúvidas do grupo. “Validade dos diferentes tipos de alimentos, rotulagem de produtos in natura quando abertos e não utilizados totalmente e onde armazená-los após abertos foram outras questões que surgiram”, aponta Rita.

Dentre os participantes, esteve Maria Rejane da Costa, uma das sócias proprietárias da Cantina Pão de Queijo do campus Taquaral. “É sempre importante a gente se desenvolver para poder atender cada vez melhor. O nosso estabelecimento está de acordo com os procedimentos, mas sempre há algo que pode ser aperfeiçoado. Agradeço às alunas Rafaela e Tatiane pela oportunidade”, conta.

OPINIÃO


Já Alexandre César Panaia, proprietário da Grab & Go, localizada no campus Santa Bárbara d´Oeste conta que gostou muito da iniciativa. Para ele um dos conteúdos mais importantes foi o relacionado à higienização das mãos, das mesas e os modos corretos de recolher o lixo e saber armazená-lo até o descarte e também quais as consequências desse descarte para a natureza.

“A quantidade de consumidores de alimentos e alimentação na Unimep diariamente é muito significativa. A alimentação servida na grande maioria é totalmente artesanal e a garantia de melhores condições higiênico sanitárias no seu preparo e comercialização é fundamental  para garantir a confiança dos consumidores. A mão de obra empregada no comércio de alimentação dos campi, em geral, não é especializada, e o mercado também carece desse tipo de especialização. Este curso vem melhor capacitar os proprietários e funcionários desses comércios para a oferta de serviços mais especializados”, destaca a docente.


Texto: Angela Rodrigues
Fotos: Fábio Mendes
Edição/coordenação: Celiana Perina
Última atualização: 04/12/2014

registrado em: