Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Matemática: possibilidades dentro e fora da sala de aula

Matemática: possibilidades dentro e fora da sala de aula

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 26/10/2011 14h38, última modificação 26/04/2016 18h48

Ingressar no ensino superior e concluir a graduação já com um emprego garantido. Com a crescente demanda de docentes para a área, essa é principal possibilidade que encontram os universitários que optaram ou irão optar pelo curso de licenciatura em matemática da Unimep. A observação é do coordenador do curso Antonio Nelson Corrêia Filho (foto ao lado). “Se o universitário quiser atuar como professor pode até escolher a cidade na qual pretende trabalhar, pois há muita demanda de trabalho. Se em Piracicaba, que é próximo a São Paulo, estamos com falta de professores, imagine no país em geral? Ou seja, ao ingressar no curso, o aluno terá emprego e espaço garantidos”, afirma ele. 

No entanto, lecionar é apenas um dos possíveis campos de atuação deste profissional. “Matemáticos podem trabalhar também com consultoria, nas áreas de economia e administração, ou seja, campos relacionados à gestão. Portanto, é possível atuar também em empresas, como diretores ou gerentes, são várias as oportunidades”, destaca. Uma reformulação curricular, concluída em setembro, também atendeu solicitações feitas pelo alunado. Trata-se da alteração de duração do curso de seis para oito semestres. A mudança veio após análise dos pedidos dos próprios estudantes, que solicitaram mais tempo de estudo para o amadurecimento do aprendizado, compartilhamento de experiências profissionais e desenvolvimento de pesquisas.


MITO 

Apesar de à primeira vista algumas pessoas não se identificarem com números e contas, o coordenador lembra que basta iniciar a graduação para que essa visão mude completamente. “É só começar a ter contato com os números, que o aluno passa a gostar e ver matemática de outra forma. O curso tem uma proposta diferenciada, queremos mostrar é possível entender a matemática, ver como pode ser utilizada, quais são as teorias propostas e como podem ser aplicadas”, complementa Filho.

Também para o universitário Robson Augusto Martins Santos, do 6º semestre, a aversão à matemática é um mito. “Basta estudar e dedicar-se, que essa visão se modifica”, afirma. Santos optou pelo curso para regularizar um de seus ofícios, que era o de professor de aulas particulares.

A estrutura oferecida pela Unimep, somada à pesquisa que fez sobre a instituição, levou Luís Ricardo Alves Soares, aluno do 6º semestre, a optar pelo curso. Professor há dois anos, ele menciona que na Unimep o ensino está voltado à formação do docente enquanto pesquisador, fato que considera fundamental à profissão. “Além disso, o curso conta com a disciplina resolução de problemas como regular, enquanto em outras instituições ela é opcional. Considero essa disciplina fundamental, porque não coloca a matemática apenas como tópicos e de modo linear, mas a insere numa perspectiva de construção do conhecimento”, afirma.

Também lecionando há um ano, a universitária Josiane Aparecida da Silva Barela, que cursa o 6º semestre, destaca a qualidade do corpo docente da graduação. “Adoro estudar matemática, os professores são muito bons. Gostaria de fazer uma pós-graduação na área, mas não sei se irei permanecer na educação ou ingressar em educação financeira”, conta ela.


ATUAÇÃO 

Estudar matemática esteve nos planos de Danilo Rodrigo Alves (foto), graduado no ano de 2010, desde a infância. Após concluir o curso, ele atua como professor da rede estadual. Dentre os conhecimentos obtidos que considera como essenciais à profissão, Alves menciona a interdisciplinaridade, que enriqueceu a vivência acadêmica por reunir alunos de turmas e cursos distintos, além da disciplina resolução de problemas. 

“É uma disciplina nova, que ajuda a ver a matemática de outra forma. Nela, é possível explorar o conteúdo do curso, a partir de um problema apresentado”, detalha. Também formada no ano de 2010, Sônia Aparecida Moraes, funcionária pública, conta que o curso a ajudou muito na hora de conquistar a colocação. “Profissionalmente, a matemática tem me ajudado muito, assim como me ajudou quanto prestei um concurso. É uma área que abre a cabeça da gente, foi muito positivo ter feito a graduação”, destaca.

 


Texto e entrevistas: Angela Rodrigues
Fotos: Fábio Mendes
Edição/jornalista responsável: Celiana Perina
Última atualização:
26/10/2011

registrado em: