Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Prof. de arquitetura renova convênio com a Cátedra da Unesco

Prof. de arquitetura renova convênio com a Cátedra da Unesco

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 28/06/2012 11h11, última modificação 26/04/2016 18h48

A renovação do convênio com a Cátedra da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em Arquitetura de Terra (técnica que consiste na utilização de elementos como taipa, adobe e terra de pilão), a promoção de um projeto de extensão no 2º semestre e a criação de programas de ensino com essa temática no campo da pós-graduação da Feau são alguns dos resultados e projetos citados pelo docente do curso de arquitetura e urbanismo da Unimep, Eduardo Salmar Nogueira e Taveira, após participar da Conferência Terra 2012, em abril, no Peru. 

“Os resultados dos trabalhos apresentados no evento contribuíram para construir uma base de ideias, especificando recomendações essenciais e conclusões para uma melhor integração da arquitetura em terra com a educação, além de melhor combinar e conectar ensino superior, formação profissional, estudos, projetos de pesquisa e difusão de conhecimento e programas de informação”, afirma. 

PESQUISAS E AÇÕES 

No evento, o docente apresentou os trabalhos e projetos desenvolvidos no Laboratório de Sistemas Construtivos (Labsis), credenciado como Instituição Amiga do Proterra. Segundo Salmar, 92% das pesquisas apresentadas na conferência tiveram origem em instituições de ensino superior de todo o mundo, dado que indica um avanço na temática da formação em arquitetura de terra. 

“A Unimep tem uma grande responsabilidade para enfrentar o desafio da educação especializada. Há uma enorme lacuna em competências e aptidões profissionais que devem ser preenchidas no mercado, a fim de proporcionar o desenvolvimento de negócios e proporcionar o reconhecimento econômico e social”, afirma. Nesse sentido, a próxima iniciativa programada na universidade ocorre em agosto. 

Trata-se do projeto de extensão Processo Educativo na Formação de Assentados da Reforma Agrária para a Produção de Tijolos de Solo Cimento, desenvolvido pela Feau em parceria com a Faculdade de Ciências Humanas e o Núcleo de Estudos e Programas em Educação Popular (Nepep). “Neste projeto, faremos a capacitação de pedreiros do assentamento de Sumaré para a produção de BTC - bloco de terra comprimida, com o apoio do laboratório Labsis. Por ser credenciado como instituição amiga do Proterra, todas as atividades desenvolvidas no Labsis terão uma difusão internacional”, detalha o docente.


Texto:
Angela Rodrigues
Fotos: Ivan Moretti
Coordenação/jornalista responsável: Celiana Perina
Última atualização: 28/06/2012

registrado em: