Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Prof. e alunos de arquitetura participam de projeto de preservação

Prof. e alunos de arquitetura participam de projeto de preservação

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 19/07/2011 12h47, última modificação 26/04/2016 18h47

Com a participação de professores e alunos do curso de arquitetura e urbanismo da Faculdade de Engenharia de Arquitetura e Urbanismo (Feau), em pesquisas e ações de campo, a Unimep é uma das instituições parceiras do estudo Patrimônio Cultural Rural Paulista: Espaço Privilegiado Para Pesquisa, Educação e Turismo. Trata-se de um projeto de pesquisa financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e que conta com a participação de 12 instituições, dentre universidades, institutos de pesquisa e um órgão público. 

O objetivo do grupo é elaborar um diagnóstico do patrimônio cultural rural paulista, a partir de pesquisas e iniciativas desenvolvidas em 18 fazendas históricas paulistas. Concluído o diagnóstico, a etapa seguinte é disponibilizar metodologias de gestão, de conservação e de difusão aos responsáveis pelo patrimônio nas áreas de cultura, de educação e de turismo, além da aplicação de tecnologias adaptadas ao meio rural, para manutenção e conservação das edificações. A pesquisa teve início em 2009 e atualmente está na 2ª  fase. 


NO CAMPO
 
Na Unimep, o projeto é representado pelo professor Eduardo Salmar Nogueira e Taveira. Ele, além de lecionar no curso de arquitetura e urbanismo, compõe a equipe de  pesquisadores da iniciativa. Por meio do trabalho de Taveira, alunos do curso de arquitetura e urbanismo atuam em ações distintas como,  visitas técnicas às fazendas, registro de informações e de depoimentos dos moradores e proprietários, produção de fotografias e levantamento de patologias das estruturas arquitetônica das propriedades, leitura dos documentos encontrados nesses locais e outras. 

O projeto promove reuniões quinzenais na Unimep, na Unicamp e na Fazenda do Pinhal, localizada em São Carlos. Segundo ele, os encontros se fundamentam em quatro enfoques: a preservação da memória virtual rural, a do patrimônio cultural material, a promoção de educação patrimonial e turismo cultural e o inventário e documentação. “Além disso, promovemos mensalmente uma reunião com os proprietários das fazendas, na qual damos uma devolutiva, com resultados do projeto e outros encaminhamentos”, afirma. 

Uma das próximas ações na Unimep é a promoção, esse mês (em data a ser definida), de uma oficina direcionada aos proprietários de fazendas históricas, na qual serão transmitidas orientações de preservação e manutenção do patrimônio. A ação ocorre no Laboratório de Sistemas Construtivos do curso de arquitetura e urbanismo. 

“Há uma preocupação em relação à conservação, porque há casos em que os proprietários oferecem a instalação sede das fazendas como pousada, mas nem sempre com recursos suficientes ou ideais à conservação. Por exemplo, ao fazer um reparo, é preciso ter cuidados específicos para não ocorrer a dilapidação do patrimônio”, destaca.


Texto:
Angela Rodrigues
Edição/jornalista responsável: Celiana Perina
Fotos: Ivan Moretti
Última atualização: 19/07/2011

registrado em: