Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Profissional de redes de computadores: controle do mundo digital

Profissional de redes de computadores: controle do mundo digital

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 05/09/2012 16h12, última modificação 26/04/2016 18h48

Para manter na ativa a conexão dos atuais 2,4 bilhões de usuários de internet  que há no mundo, de acordo com a empresa Royal Pingdon, os graduados em tecnológica em redes de computadores são imprescindíveis. Estes profissionais são responsáveis por planejar, implantar, gerenciar e manter um ambiente de computadores interligados em rede, e que ao mesmo tempo, sejam disponível e seguro.  Na Unimep, o curso é oferecido desde 2006 e de acordo com o coordenador, Francisco Baccarin (foto ao lado), é a única graduação tecnológica em redes da região. 

O docente cita outros diferenciais do curso, como disciplinas práticas em laboratórios específicos; corpo docente qualificado e certificações nacionais e internacionais conferidas por instituições, como Linux Professional Institute, Cisco, EXIN, IPv6 Fórum, LPI, Mandriva, Microsoft e Novell.  Há ainda o oferecimento de duas certificações intermediárias: a de suporte técnico e a de administrador em infraestrutura de redes, além dos convênios existentes entre a graduação e empresas IBM e Microsoft, por exemplo. 

De acordo com Baccarin, após os três anos de graduação, o profissional pode atuar em qualquer área que envolva tecnologia. “Os alunos podem trabalhar em empresas de pequeno, médio e grande portes, já que todas necessitam de equipamentos conectados. Dentre as atividades desempenhadas por este profissional estão a configuração de serviços, tais como instalação, administração e otimização dos servidores; gerenciamento da infraestrutura dos dados e, também  transmissão de Voip Streaming, com a disponibilização de vídeos, sons e imagens na rede”, afirma. 

O coordenador acrescenta que nas médias empresas está também a instalação de sistemas de intranet, enquanto nas grandes, as conexões de equipamentos entre locais e pontos distintos como municípios, por exemplo. “A demanda de empregos atualmente é maior do que a oferta, no entanto, o mercado exige mão-de-obra qualificada, que é o que buscamos oferecer. Inclusive, no segundo semestre as empresas nos procura para slecionar alunos para ingressar em estágios remunerados”, destaca. 


DIFERENCIAIS
 
O universitário Ivan Lucas Defant, 24, do 6º semestre, aponta dentre os motivos que o fizeram optar pela Unimep, a estrutura, a qualidade de ensino e a credibilidade da universidade. Para ele, os diferenciais do curso são as aulas práticas e teóricas aplicadas nas salas de aula e laboratórios, que simulam ambientes reais e permitem que os estudantes desenvolvam a habilidade de propor projetos de melhorias em situações de instabilidades nos serviços e aplicativos que as redes computacionais sustentam. 

“Os conceitos sobre hardware, softwares e modos de funcionamento fazem com que o aluno esteja preparado para otimizar o trabalho dos computadores, adequando a estrutura física ao seu potencial de produção. Na Unimep, o curso diferencia-se por simular o ambiente de uma empresa com computadores, roteadores, switches e outros equipamentos utilizados ao longo do curso. Isso torna o aluno apto a qualquer situação de anomalia, dentro de empresas que necessitam de uma rede computacional”, destaca ele, que tem planos de administrar uma rede computacional de grande porte. 

Já para Douglas Henrique da Silva Pirralha, 24, do 6º semestre, os pontos fortes da universidade são a tradição dos cursos oferecidos, o nível de qualificação dos professores, a sala de redes e a infraestrutura oferecida pela instituição.  “O curso tem ótimos professores, biblioteca com grande acervo de livros sobre a área de tecnologia da informação e outras”, aponta o Pirralha.

Única mulher da turma do 5º semestre, a universitária Lisa Carolini Pereira Lima, pesquisou os cursos antes de fazer sua escolha. “Em um comparativo com a grade curricular de outra instituição de ensino, a da Unimep foi a que mais atendeu aos meus interesses. Mas o que realmente determinou  minha vinda foi a bolsa que consegui por meio do Prouni”, afirma. Para ela, o principal diferencial é o curso contar com professores certificados nas disciplinas que lecionam. 

NA PRÁTICA 

Vinicius Caixeta dos Santos (foto ao lado), que concluiu o curso no primeiro semestre do ano, atua como analista de redes na Hyundai Motor Brasil. Dentre os aprendizados ele cita as aulas práticas nos laboratórios e os professores com vasta experiência. “Mais de uma vez, me deparei com problemas os quais resolvi consultando slides e laboratórios feitos em sala de aula. Acho o curso como ótimo, com professores com grande conhecimento teórico e prático, com disciplinas de conteúdo atual e que disponibiliza um ótimo laboratório para exercitar a teoria e a prática”, afirma o profissional. 

ATUALIZAÇÃO CONSTANTE

Para os que têm interesse na área, Baccarin diz que os principais desafios da profissão são a constante atualização. “É fundamental estudar a vida toda”, ressalta.  Caixeta concorda. “Tecnologia muda muito a cada momento, o que hoje é considerado melhores práticas, amanhã  não é mais utilizado. O mercado está aquecido. Há empresas dependendo cada vez mais de sistemas sempre online, websites, e-mails e funcionários trabalhando de qualquer lugar. Tudo depende de uma rede de computadores, que para funcionar exige gerenciamento, planejamento, manutenção e melhorias contínuas, e principalmente, mão-de- obra especializada”, aponta. 

A faixa salarial na região de Piracicaba para os recém-formados em redes de computadores, de acordo com o coordenador do curso é uma média de R$ 2.800, para os que dominam o inglês, e em torno de R$ 1.800, para os que não possuem o idioma.


Texto:
Angela Rodrigues
Fotos: Fábio Mendes
Edição/coordenação responsável: Celiana Perina
Última atualização: 05/09/2012

registrado em: