Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Unimep: 30 anos de atividades culturais, comemorações no sábado

Unimep: 30 anos de atividades culturais, comemorações no sábado

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 23/03/2010 10h40, última modificação 26/04/2016 18h46

Os primeiros grupos de coral e teatro da Unimep – Universidade Metodista de Piracicaba completam 30 anos de criação nesse sábado, 27. A data será comemorada com apresentações musicais e teatrais às 19h, no Teatro Unimep, no campus Taquaral. Na ocasião, também serão homenageados ex-integrantes dos grupos e profissionais que ajudaram a construir parte da história da arte e cultura da instituição. A iniciativa integra a programação de celebração dos 35 anos de reconhecimento da instituição como universidade, completados em outubro. O evento tem entrada gratuita e tem apoio do DCE (Diretório Central dos Estudantes) e Afiep (Associação dos funcionários do IEP). 


Os primeiros grupos culturais foram o grupo de teatro, comandado por Claudemir Ferreira, e um de coral, regido pelo maestro Umberto Cantoni, implantados em 1980. Naquela época, as atividades eram vinculadas à Pastoral Universitária e limitadas aos temas sobre religião. Somente em 1985 surgiu o projeto que resultaria no Núcleo Universitário de Cultura (NUC), em 1987. 

Com isso, além das atividades culturais, se fortaleceu a forma de lidar com a arte. “Me sinto muito honrado de ter participado da criação do núcleo. Trabalhei como professor em São Paulo, mas foi em Piracicaba que consegui realizar o maior sonho da minha vida: educar com arte”, diz  Cantoni.
 
Ao longo dos 20 anos, os artistas da Unimep demonstraram frequente participação política, principalmente em passeatas e manifestações, como a das Diretas Já (1983-1984). A primeira montagem do grupo Andaime, O Diabo e o Homem à Brasileira, em 1986, discutia o tema da reforma agrária antes do surgimento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Em 1983, 1989 e 1992, montagens da peça Missa da Terra Sem Males uniu os grupos de teatro e coral para uma crítica à destruição dos povos e da cultura indígena.

A construção do Teatro Unimep, em 1998, foi a partir de reivindicações para a implantação de um anfiteatro para as atividades culturais e acadêmicas. A primeira apresentação do espaço foi aos pedreiros envolvidos na obra. Hoje o teatro tem capacidade para cerca de 800 pessoas. 


SEMPRE UNIMEP

Muitas pessoas influenciaram a história e foram influenciados por ela. Entre elas está o violonista Nivaldo Santos, 47, e a cantora Suzana Cabral, 51, que eram universitários quando ingressaram no coral, e hoje se dedicam somente à música. “O coral foi tudo para mim, foram os melhores anos da minha vida. Estava desanimado e por causa dele encontrei o meu caminho, que é a música. Hoje vivo dela, graças a Deus”, conta Santos, músico e professor. 

Já Melissa Raveli, 35, e Paulo Caiuá, 45, devem ao coral mais que o rumo de sua carreira. Eles se conheceram em 1996, depois se casaram e tiveram um filho. O batizado foi o primeiro da capela do campus Taquaral, e o coral colaborou na celebração. 

O ator Edson Gon, 47, considera o período em contato com o NUC um divisor de águas. “Valorizo muito a Unimep por ter o NUC. Se não fosse por isso talvez estivesse hoje em um caminho que não gostasse”, conta Gon, que também é diretor de teatro e construtor de bonecos. Já o ator e diretor Edimilson Andrade, 45, descendente de família circense, já integrou o grupo Andaime e participou de outros grupos como convidado, além de ter realizado workshops sobre teatro na instituição. “Sou muito grato à Unimep, porque seu apoio ao teatro não se restringe apenas aos seus grupos”, fala. 

Em uma análise sobre a importância das atividades culturais, a coordenadora do NUC, Joceli de Fátima Cerqueira Lazier, destaca que as oportunidades de vivência em arte e cultura que a Unimep oferece aos seus alunos, ajuda na formação crítica e humanística . 


GRUPOS E EQUIPE

O NUC é composto pelos grupos de teatro Andaime, com 24 anos de criação;  Cochichonacoxia e NoEspaço, ambos em Piracicaba; e Pedecana, em Santa Bárbara d’Oeste. No quesito canto coral integram o setor os corais Apepú Yamí e Campus Centro, em Piracicaba, e Campus Santa Bárbara d’Oeste.

Atualmente, além de Joceli, também compõem a equipe do Núcleo de Cultura  Antonio Chapéu, Joanice Vicente Casemiro e Fernando Bisan.


Edição e texto: Assessoria de Comunicação e Imprensa
Última atualização: 23/03/2010

registrado em: