Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Unimepiana de administração transformou TCC em negócio e prevê faturar 24 milhões em 2017

Unimepiana de administração transformou TCC em negócio e prevê faturar 24 milhões em 2017

por Angela Rodrigues publicado 19/06/2017 02h00, última modificação 22/06/2017 11h43
A empresária Marisa Peraro, que cursou administração de empresas na Unimep, transformou o TCC na Pró-Corpo, rede de clínicas de estética. Em 2017, ela espera faturar 24 milhões.

No final do curso de administração, que fez na Unimep entre os anos de 2002 a 2005, a atual empresária Marisa Peraro desenvolveu um plano de negócios para a gestão de uma clínica de estética para o Trabalho de Conclusão de Curso, o TCC. Três meses após o fim da graduação, Marisa abriu a primeira unidade da Pró-Corpo, rede especializada em tratamento estéticos, cirurgia plástica e outros serviços. Em 2017, ela espera alcançar o faturamento de 24 milhões para a empresa. Em 2016, ela faturou 22 milhões.

Atualmente, Marisa administra oito unidades da rede Pró-Corpo localizadas em três Estados: cinco unidades estão em São Paulo (capital e interior); uma em Londrina, Paraná, cidade onde nasceu, e outras duas no Rio de Janeiro. A unimepiana de administração coordena 140 funcionários. Confira mais detalhes sobre a sua trajetória:

Acontece Unimep – Como você se descobriu empreendedora?
Marisa Peraro –
 Comecei a trabalhar aos 13 anos em uma locadora de vídeos e fiquei até os 15 anos. Aos 17, fui emancipada pelos meus pais para poder comprar uma livraria e lá fiquei até os 22 anos. A livraria, que era em Londrina, não deu certo e eu a vendi. Em seguida, entrei na faculdade e me mudei para Piracicaba, onde fiquei até 2006. Estudava na Unimep, dava aulas de matemática financeira, consegui uma bolsa de estudos e pagava a faculdade com esta bolsa.

Acontece Unimep – Como surgiu a ideia da rede Pró-Corpo?
Marisa – Tive de fazer o TCC sobre algum projeto, então, elaborei um plano de negócios para a gestão de uma clínica de estética. Lembro que na época não era usuária de estética, fazia as mãos e o cabelo, mas não ia muito além disso. Tive de elaborar o projeto e lembro que estudava muito Peter Druke, a questão da pirâmide, a importância de ter o ponto de equilíbrio entre preço e qualidade, que permitisse pagar as contas. Percebi, então, que as empresas queriam ter lucro muito grande, mas a minha ideia não era essa. Eu percebi que poderia ter lucro menor mas em quantidade, em um volume maior.

Acontece Unimep – Como foi o processo para abrir a empresa?
Marisa – Já estava morando em São Paulo e precisava de capital. Então, o meu marido vendeu uma moto por R$ 17 mil. Com esse valor, mais o valor mensal do trabalho dele, consegui abrir a empresa. Hoje estamos em três Estados: São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro. Em 2016, nosso faturamento foi de 22 milhões e a meta para 2017 é de 24 milhões.

Acontece Unimep – Pode detalhar o processo de gestão da sua empresa? 
Marisa – As pessoas acreditam muito no: Ah, vai dar certo! Eu também sou uma pessoa muito positiva, porém só os sonhos não conseguem pagar as contas. É preciso pensar o planejamento, a captação, o que você vai oferecer para o cliente o que ele vai querer, que é o diferencial. O meu lema é que você tem de entregar ao cliente o que ele está comprando. Temos equipamentos, com tecnologia por meio dos quais a gente consegue oferecer resultados melhores. Mas são estratégias. O diferencial mesmo é entregar o que o cliente está comprando, isso é muito importante.

Acontece Unimep – Quais são os seus planos para o futuro?
Marisa – Tenho o planejamento de aumentar o número de lojas. Mas em 2016 a gente analisou muito a gestão, sobre como melhorar dentro do meu funil. Temos, na clínica, um sistema interno de gestão, um software. Quando o coloquei em prática, tivemos aumento de rendimentos. Então, o meu plano futuro é viabilizar esse sistema de gestão para as concorrentes. Quando falo em concorrência é o cliente final. Tenho certeza de que em qualquer clínica de estética, que não tenha gestão, as oportunidades estão dentro da própria loja, que é o que aconteceu comigo. Então, já que eu tenho o sistema e tenho outros protocolos testados, então quero comercializar esse modelo de gestão. 

Acontece Unimep – Quais foram as principais contribuições da Unimep para a sua trajetória?
Marisa – Na Unimep sempre me relacionei com pessoas de outros cursos. A minha grade de disciplinas era diferente para que eu pudesse conciliar todas as minhas atividades, então fazia aulas de manhã e à noite e, assim, conheci muita gente. Também aproveitava o tempo livre para ler, lembro que lia muito e lia revistas sobre vários assuntos. A Unimep tem um espaço extremamente gostoso, bem diferente daquelas selvas de pedra, é um espaço horizontal e você consegue ter bons momentos de reflexão e ócio criativo. Nunca fui de ficar parada, não consigo, sempre penso o que eu posso fazer agora? A Unimep dava essas opções. Além disso, os professores são muito acessíveis, lembro muito da professora Dalila, que é alguém que considero referência na minha vida.

 

Entrevista e texto: Angela Rodrigues
Edição e coordenação: Celiana Perina
Fotos:  acervo pessoal
Última atualização: 08/06/2017

 

 

 

 

registrado em: