Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Unimepianos de educação física são ouro em Pan-Americanos

Unimepianos de educação física são ouro em Pan-Americanos

por Universidade Metodista de Piracicaba — publicado 28/08/2015 08h10, última modificação 26/04/2016 15h52

O caminho para se tornar campeão no esporte é longo e repleto de obstáculos. Para aqueles que aceitam o desafio, a glória pode ser conquistar uma medalha de ouro em competição internacional. Natalia Brozulatto Spigolon, 25, e Paulo Medeiros, 25, ex-alunos de educação física da Unimep, alcançaram essa honra. Ela, lutando karatê na categoria até 68 quilos, nos Jogos Pan-Americanos realizados em Toronto, no Canadá. Ele, lutando na categoria Shuai Jiao adulto, até 82 quilos, no Campeonato Pan-Americano de Kung Fu Wushu, em Santo André, São Paulo.

A karateca recebeu também a Medalha de Mérito Esportivo, no dia 18 de agosto, em São Paulo, e esteve, essa semana, em Brasília para receber homenagem da presidente Dilma Rousseff. Natalia concluiu o bacharelado em educação física em 2011 e a licenciatura em 2012. O karatê entrou cedo em sua vida, aos 9 anos de idade: “foi amor à primeira vista, comecei e nunca mais parei”. Ela contou que, apesar de já ter disputado dezenas de campeonatos e treinado por mais de 15 anos, sua classificação para os Jogos foi difícil e contou com a ajuda  da equipe dos laboratórios do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Unimep (mestrado e doutorado) (PPG-CMH): “tive uma equipe multidisciplinar que me ajudou muito esse semestre: psicóloga, médico, técnico e fisioterapeuta, em especial a professora Charlini Hartz”.

Doutoranda do (PPG-CMH), que é coordenado pela professora Delaine Rodrigues Bigaton, Charlini realizou, durante 1 mês, o trabalho de preparação e prevenção de lesões de Natalia. A atleta também passou por avaliação física com a equipe do Laboratório de Avaliação e Intervenção Aplicada ao Sistema Cardiorrespiratório, sob a coordenação da professora Marlene Moreno.

“Trabalhei muito, estudei minhas adversárias, fiz treinos físicos específicos, a preparação foi muito completa, fazia fisioterapia cinco vezes na semana com comando da futura doutora Charlini, foi entrega total. Quando veio o ouro passou um filme de tudo isso na minha cabeça, desde quando eu comecei até esse ano que não foi fácil”, conta a atleta.


O DRAGÃO PIRACICABANO

Bacharel em 2012 e licenciado em 2013, no curso de educação física da Unimep, Paulo Medeiros treina kung fu desde os 7 anos de idade. Interessado em luta, filmes e pela cultura oriental, praticou diversos estilos do esporte. Na adolescência começou a treinar de forma mais séria, visando se tornar um mestre. Alguns anos mais tarde, aos 18, já atuava como professor em uma academia da cidade, no estilo Shaolin do Norte e Sanda.

Ele conta que a vontade de se tornar atleta sempre o acompanhou, pois gosta de treinar próximo aos seus limites e em alto nível. Como sabia que o atleta tem uma vida útil e desejava aliar conhecimento ao esporte, também buscou a graduação em educação física. Do curso, ele tem ótimas lembranças: “foi muito importante para minha vida e carreira. Devo muito os resultados que obtive ao curso de educação física da Unimep, aos professores e aos projetos de iniciação científica que realizei, durante 3 anos, com a professora Rute Tolocka”.

Medeiros disputou dezenas de campeonatos e obteve títulos importantes, antes da medalha de ouro no Pan, como: Tricampeão Brasileiro (2012, 2013, 2014) e Campeão Sul-americano (2013). Desde 2013, está na Seleção Brasileira e foi um dos primeiros atletas do atual técnico Silvio Kato. Ele destaca que o kung fu não é modalidade oficial dos Jogos Pan-Americanos nem dos Jogos Olímpicos, por isso é realizado um Pan específico da modalidade: “porém nosso esporte vem lutando muito e mostrando que tem total competência de se tornar oficial pelo Comitê Olímpico”.

DICAS DE CAMPEÃO

Natália ressalta a importância da dedicação à graduação: “sabemos que não é fácil, mas temos que nos dedicar e não perder o foco. Dar nosso melhor, principalmente nessa fase, muitas vezes define o futuro de cada um”.

Paulo avalia o caminho de um aluno campeão: “é preciso estudar com seriedade e disciplina, aproveitar o tempo para aprender o máximo possível e aplicar o conhecimento adquirido. Dedicação é a palavra chave para o sucesso”.


Texto: Serjey Martins
Fotos: Fábio Mendes/acervo pessoal
Edição/coordenação: Celiana Perina
Última atualização:  28/08/2015

registrado em: