Você está aqui: Página Inicial / Pesquisa da pós em Ciências do Movimento Humano avalia efeitos do uso excessivo de celulares

Pesquisa da pós em Ciências do Movimento Humano avalia efeitos do uso excessivo de celulares

por marsanta publicado 10/11/2017 05h00, última modificação 29/11/2017 15h38
Docentes e alunos do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Unimep desenvolvem pesquisa para avaliar os efeitos do uso excessivo de celulares em universitários.

 Os recursos disponíveis nos celulares oferecem centenas de funcionalidades, mas a utilização excessiva do equipamento também pode gerar efeitos físicos e mentais distintos que incluem sintomas e alterações na região cervical e no sistema orofacial (relativo à face). Para avaliar os resultados desse comportamento em estudantes universitários, a professora Delaine Rodrigues Bigaton, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano (PPG-CMH) da Unimep coordena e orienta a pesquisa Prevalência de Disfunção Temporomandibular (DTM) em Estudantes Universitários e sua Relação com o uso Excessivo de Celular.

O estudo é pioneiro no Brasil. Além de avaliar o objetivo que intitula a pesquisa, o estudo também busca analisar se existem diferenças na fadiga muscular dos músculos da face e do pescoço na utilização do smartphone em pessoas com DTM e em pessoas que não apresentam sintomas (assintomáticos). Os resultados esperados são fornecer informações para o melhor diagnóstico e tratamento da disfunção temporomandibular e verificar por meio de análises estatísticas se há correlação entre o uso excessivo do celular e a DTM.

VOLUNTÁRIOS

Para desenvolver o projeto, que possui etapas distintas, os pesquisadores envolvidos convidam todos os universitários da Unimep a preencher questionário online sobre possível dor na região da face e o tempo de utilização do smartphone.

“Gostaríamos que todos os estudantes da Unimep participassem do estudo, sem exceção. Portanto, iremos fazer maior divulgação para que mais alunos respondam as questões. Gostaríamos de atingir o número mínimo de 1.000 estudantes, até o final do período letivo de 2017”, afirma a profª Delaine. O estudo será realizado apenas com universitários da Unimep.

“Estamos enviando o questionário on-line, recebendo as respostas, pontuando e devolvendo aos alunos a pontuação atingida e o significado dessa pontuação. Nas etapas subsequentes iremos, primeiramente, analisar os dados obtidos e redigir os relatórios e os artigos para publicação”, afirma.

Segundo conta Delaine, os alunos que apresentarem disfunção temporomandibular e aceitarem participar serão convidados a fazer uma avalição física e se concordarem, participarão de análise sobre a fadiga muscular, dos músculos da face e do músculo trapézio, durante o uso do celular. “Serão oferecidos tratamentos para os estudantes com disfunção temporomandibular que se dispuserem a participar em datas e horários previamente combinados. Essa análise será realizada por meio de um equipamento chamado eletromiógrafo. A coleta de dados é totalmente indolor”, destaca ela.

As avaliações ocorrem no Laboratório de Recursos Terapêuticos do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Unimep, localizado no bloco 2 do campus Taquaral da universidade.

PESQUISAS

A pesquisa coordenada por Delaine conta com a participação da profª Fabiana Foltran Mescollotto, pós-doutoranda do PPGCMH; de Taís da Cruz Silva, aluna do 8° semestre do curso de fisioterapia da Unimep; Ester Moreira de Castro, aluna de mestrado do PPGCMH; Eliza Bizetti, aluna de doutorado do PPGCMH; e da profª Ana Beatriz de Oliveira, da Universidade Federal de São Carlos, que participa como colaboradora.

O projeto Prevalência de Disfunção Temporomandibular (DTM) em Estudantes Universitários e sua Relação com o Uso Excessivo de Celular está vinculado à pesquisa Avaliação da fadiga muscular dos músculos esplênio da cabeça, trapézio, masseter e temporal, em indivíduos usuários de celular com disfunção temporomandibular, desenvolvida pela aluna do PPGCMH da Unimep, Fabiana Foltran Mescollotton e que realiza o pós-doutorado sob a supervisão de Delaine.  

Os estudantes da Unimep interessados em participar podem enviar mensagem para o (19) 9.9605-2294 ou clicar aqui.

 

Texto: Angela Rodrigues

Edição e coordenação: Celiana Perina

Fotos: Banco de imagens

Última atualização:  29.11.2017