Você está aqui: Página Inicial / Qual é a diferença entre Lato Sensu e Stricto Sensu? Coordenador da Pós explica as diferenças.

Qual é a diferença entre Lato Sensu e Stricto Sensu? Coordenador da Pós explica as diferenças.

por marsanta publicado 07/11/2017 02h00, última modificação 09/11/2017 13h22
Coordenador da Pós-Graduação da Unimep explica as diferenças entre Lato Sensu e Stricto Sensu.

A Unimep oferece 56 cursos de pós-graduação. Desses, 45 são lato sensu e 11 stricto sensu. Mas qual a diferença entre eles? Duração e público-alvo, basicamente. Quem explica essa questão é o professor Carlos Alberto Zem, coordenador geral da pós-graduação dos cursos de lato sensu da Unimep.

"A duração de cursos lato sensu, que são voltados para profissionais da área, chega a até 1 ano e meio. Já os cursos stricto sensu viriam entre 2 anos (mestrado) e 4 (doutorado) são voltados a pessoas que desejam atuar na área acadêmica", conta Zem.

As categorias de cursos lato sensu são especializações, MBAs (Master Business Administration), MBCs (Master Business Communication) e MBEs (Master Business Economy). Cursos stricto sensu, por outro lado, são mestrados e doutorados. "Cursos de MBA são especializações em áreas com foco em negócios. Curso de mestrado e doutorado buscam formar pesquisadores", ressalta o professor Zem.

Os cursos de MBC e MBE, segundo o professor, seguem o mesmo raciocínio dos MBAs só que com ênfase nas áreas de comunicação e economia, respectivamente. "Esses cursos são mais recentes. Implementamos o MBC em 2010 e o MBE de 2015. Isso veio de uma tendência que observamos no mercado", destaca Zem.


MERCADO DE TRABALHO

Apesar da alta do desemprego no país em todas as áreas, conhecimento ainda é um diferencial considerado importante. Um dos estudos que mostra isso é o livro mestres e doutores 2015, do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). O levantamento mostrou que, em 2014, aproximadamente 75% dos doutores e 65% dos mestres estavam empregados. Além disso, de 1996 a 2014 houve um crescimento de 485% do número de pós-graduados no país. "Conhecimento e um diploma de pós-graduação significam poder, emprego e remuneração", diz o jornalista Thiago Tanji, da Revista Galileu.

É desse ponto que surge a importância de se pensar em continuar a graduação por meio de cursos de pós. Para estimular o interesse dos alunos da graduação e oferecer experiências extracurriculares para estudantes lato e stricto.

A exemplo do Connecting Plus, que permite a discussão de tendências do mundo digital. "Nesses eventos, a gente discute tudo: de questões sobre empregabilidade até gestão de carreira. Sem contar aqueles em que falamos sobre a importância da própria pós-graduação", conta o professor Zem.


Texto:
Pedro Spadoni
Edição e coordenação: Celiana Perina
Fotos: Banco de imagens
Última atualização: 07.11.2017