Você está aqui: Página Inicial / Arquitetura e Urbanismo / Perguntas mais frequentes

Perguntas mais frequentes

por Danilo Sartorelli Barbato publicado 29/03/2016 15h46, última modificação 02/02/2018 14h07
Arquitetura e Urbanismo

1. Quantos anos dura o curso e desde quando ele existe na Unimep? Qual o preço da mensalidade?

Os cursos de Arquitetura e Urbanismo têm duração mínima de cinco anos obrigatoriamente, por exigência do MEC. O Curso de AU da UNIMEP existe desde 1994 e já formou mais de 800 profissionais. No próximo ano celebraremos vinte e cinco anos do curso de AU e neste ano de 2018 estamos iniciando a 25 a. turma do curso. A mensalidade é de R$ 2.243,00, com possibilidades de bolsas e descontos.
 

2. No vestibular, é necessária prova de aptidão?

 

As escolas de AU tradicionalmente realizam uma prova de aptidão específica (em geral classificatória e não eliminatória), que avalia a capacidade do candidato de se expressar através do desenho, principalmente de observação e criação.

 

3. Existem outras faculdades de arquitetura em Piracicaba?

 
Existem outras escolas de arquiteturas regionais, mas Piracicaba possui somente o Curso de AU da UNIMEP, com aulas no Campus Santa Bárbara D’ Oeste.
 

4. Qual o perfil das pessoas que procuram o curso de arquitetura?

 
Em geral, procuramos encontrar e formar, no futuro profissional, as seguintes aptidões: um bom raciocínio projetivo (capacidade de imaginar, criar mentalmente e projetar, através da interpretação das informações e intenções de cada projeto), o senso de organização espacial (capacidade de organizar espaços através do relacionamento de elementos, materiais, formas e volumes), uma criatividade construtiva (esforço em resolver tridimensionalmente a materialidade do projeto concebido) e uma sensibilidade compositiva através dos meios de expressão gráfica (habilidade em criar e expressar idéias e projetos através de diferentes meios).
 

5. Como se divide o curso entre teoria e prática? Quais são as principais disciplinas?

 
O conteúdo abordado nas matérias do curso dividem-se nas duas grandes áreas profissionais: os projetos de arquitetura e paisagismo e os projetos de urbanismo. A formação do repertório ainda passa por disciplinas de formação básica das áreas de teoria e história da arquitetura e do urbanismo, linguagem e meios de expressão, e das tecnologias das construções (conforto do ambiente construído, sistemas construtivos e materiais de construção, instalações prediais, entre outros), além de oferecer uma ampla formação humanista no campo das artes, sociologia, antropologia, geografia, economia, questões ambientais, entre outras, fundamentais para compreender a sociedade e as cidades e propor a sua transformação. Assim, pode-se perceber que o curso atua simultaneamente entre a arte e a técnica.
 

6. Em quais áreas a pessoa que se forma em arquitetura pode atuar?

 
O campo de atuação do arquiteto urbanista é muito variado, desde os profissionais atuando na esfera do Poder Público na área de planejamento urbano, regional e metropolitano, passando pelos projetos de construção de edifícios públicos, monumentos, habitação popular, paisagismo e revitalização do patrimônio histórico, até os profissionais que lidam com a arte e comunicação visual aplicadas, como design de interiores, acabamentos, cenografia, light design, luminotécnica, entre outros. Destacam-se também os profissionais que buscam dedicar-se a inovação tecnológica na área de construções e no desenvolvimento de softwares projetativos do espaço construído, além da pesquisa acadêmica e cientifica.

7. Como está sendo percebido o mercado de trabalho atual?

 
A economia vem passando por um momento delicado no Brasil e no mundo e isto tem se refletido no mercado de trabalho para os arquitetos urbanistas. Porém, pesquisas apontam para um cenário de retorno do crescimento econômico e o setor da construção civil sempre ocupou um lugar de destaque na economia brasileira. Além disso, levando-se em consideração que o país tornou-se extremamente urbano, com população concentrada nas cidades e metrópoles, as cidades, que não estavam preparadas para este crescimento desordenado, devem ser estudadas e atualizadas para minimizar os efeitos da degradação social, urbana e ambientais decorrentes desta falta de planejamento.
 

8. Quais as principais qualidades/habilidades para quem quer ter sucesso nessa área?

 
Sólida formação básica e profissional geral, incluindo os aspectos sociais, éticos, morais e ambientais; a capacidade de resolver problemas concretos, modelando situações reais, promovendo abstrações e adequando-se a novas situações; capacidade de análise de problemas e síntese de soluções integrando conhecimentos multidisciplinares; sensibilidade para a elaboração de projetos e proposições de soluções técnicas e economicamente competitivas; capacidade de absorver novas tecnologias, principalmente aquelas de caráter sustentável que apresentem novos enfoques e aplicações para o consumo de energia e de visualizar novas aplicações; capacidade de comunicação e liderança para trabalhar em equipes multidisciplinares e consciência da necessidade de contínua atualização profissional.
 

9. Existe algum sindicato ou órgão representante dos profissionais de arquitetura em Piracicaba ou região? Qual órgão regula a profissão na cidade?

 
A profissão em todo o país é regulada e fiscalizada pelo sistema CAU – Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – recentemente criado (2010), este conselho agrega nos âmbitos federal e estadual os profissionais de arquitetos e urbanistas. A cidade de Piracicaba possui ainda a Associação de Engenheiros e Arquitetos de Piracicaba - AEAP, e o núcleo local do IAB-SP – Instituto dos Arquitetos do Brasil - Regional São Paulo.
 

10. Eu gostaria de saber o salário médio para o recém-formado, existe algum piso?

 
A profissão possui a referência do salário-base definido por estatuto da categoria de 8,5 salários mínimos, que se aplica para atuação no setor público especialmente, mas o setor privado ainda atua de maneira muito difusa nesta questão.