Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Universitária / Mensagem da Semana / Mensagens Anteriores / Troque o medo pela fé!

Troque o medo pela fé!

por Angela Rodrigues publicado 08/03/2020 02h00, última modificação 08/04/2020 15h59

 

“Naquele dia, ao anoitecer, disse Ele aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado”. Deixando a multidão, eles o levaram no barco, assim como estava. Outros barcos também o acompanhavam. Levantou-se um forte vendaval, e as ondas se lançavam sobre o barco, de forma que este foi se enchendo de água. Jesus estava na popa, dormindo com a cabeça sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e clamaram: “Mestre, não te importas que morramos?” Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: “Aquiete-se! Acalme-se!” O vento se aquietou, e fez-se completa bonança.  Então perguntou aos seus discípulos: “Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?” Eles estavam apavorados e perguntavam uns aos outros: “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” (Marcos 4. 35-41)


Esta história é impressionante, contém uma lição sábia e profunda que desafia nossa resposta ao medo. É importante reconhecer que o medo nesta história era válido, tinha sentido de ser. Esta não é uma história sobre ansiedade irracional. Observe a linguagem no texto que descreve “uma grande tempestade de vento”, “as ondas batem no barco” e “que o barco já estava sendo inundado”. Isso foi real. Os discípulos eram pescadores ao longo da vida que conheciam o mar e podiam reconhecer um perigo genuíno, e estavam convencidos de que morreriam.

Isso torna o contraste com Jesus ainda mais notável. Veja como Jesus agiu: "Ele estava na popa, dormindo em uma almofada". Marcos pinta uma imagem de serenidade, mas uma cena cercada pelo caos. Eu me pergunto como os discípulos viram Jesus neste momento. Ele era um dos poucos no barco que não era um pescador treinado. Talvez eles tenham visto sua atitude indiferente como um sintoma de ignorância e não como um sinal duradouro de fé. Eles enfrentavam um perigo real que eles entendiam habilmente, enquanto o mestre parecia inconsciente e fora de contato.

Foi nesse momento que Jesus acordou. Eu gosto de imaginá-lo sentando lentamente, talvez se alongando por um momento e depois saindo para ordenar que as ondas “fiquem quietas!” Instantaneamente, o vento morreu e o mar se acalmou. À Sua palavra o cenário foi modificado, tudo mudou. A própria prevalecente palavra que criou o mar, foi manifesta para acalmá-lo serenamente. A pergunta dele é uma que todos devemos responder: "Por que você está com medo?"

O medo pode ser um sintoma de falta de fé, ninguém nega que em alguns casos o é. É humano imaginar um cenário de pior caso ocorrendo no futuro - seja um colapso econômico, uma pandemia ou algo completamente diferente. Mas, lembramos que Deus estará conosco nesse futuro? Vemos apenas ondas ou nossa atenção está voltada para Jesus, que ainda repousa no barco? O medo é uma forma de pensar em que, quando imaginamos um futuro em que Deus não estará presente. Mesmo em um "pior cenário", Jesus tem o hábito engraçado de aparecer e transformar a cena em algo completamente diferente.

Isso não nega a realidade do sofrimento e do sofrimento humano. Jesus demonstra repetidamente Sua compaixão pelos que sofrem. Além disso, não devemos nos sentir condenados pelo medo que sentimos. É natural se preocupar e, não importa quão forte seja sua fé, você provavelmente ainda lidará com ela até certo ponto. Mas isso nos desafia a elevar nossa perspectiva, para não sermos definidos pelo medo. Não importa o que ocorra nesta vida, Jesus - a própria Palavra de Deus - ainda está conosco. Ele ainda tem autoridade sobre a tempestade e conquistou a própria morte. Podemos passar por provações, mas vivemos na esperança.

É muito fácil e humano demais deixar o medo crescer maior que Deus. Como os discípulos, seguimos Jesus durante a vida cotidiana, mas o que acontece quando uma tempestade aparece do nada e ameaça nos inundar? Como vemos Jesus? Como um homem que não entende o perigo da situação? Ou como um Deus que reina sobre toda a terra? Quando vemos Jesus como ao Deus que reina, nossa perspectiva muda tudo.

Deus abençoe sua vida e sua família, em nome de Jesus.

Reverendo Luiz Rodrigues Barbosa Neto - Pastoral Universitária do IEP - campus Taquaral